Opções

Ache fácil

CATEGORIA APROVA PARALISAÇÃO DE 48 HORAS (2 E 3 DE AGOSTO); ACOMPANHE A AGENDA!

Reunidos em assembleia na manhã desta terça-feira, 1º de agosto, os trabalhadores em Educação do município de Salvador aprovaram a paralisação geral de 48 horas da categoria para esta quarta e quinta-feira, 2 e 3 de agosto. Os trabalhadores lotaram o Ginásio dos Bancários, nos Aflitos, para dizer NÃO à proposta de reajuste zero e ao descaso do Executivo Municipal em relação à concessão de direitos estabelecidos no Plano de Carreira da categoria.

Além da paralisação, foi aprovada na assembleia um pacote de contrapropostas que será apresentado à Secretaria Municipal da Educação (SMED), já que esta não avançou nas negociações.

Confira as contrapropostas da categoria:

    • Concessão de avanço de 2 (duas) referências, de forma automática, constantes na Tabela Salarial, contemplando os professores REDA;
    • Concessão de reajuste salarial no percentual de 10% (dez por cento);
    • Publicação das mudanças de nível, assim como a apresentação de um cronograma de pagamento do passivo;
    • Devolução imediata dos valores descontados dos profissionais da educação referentes aos dois dias de paralisação, visto que não há nenhuma negativa de reposição das aulas.

 

Também foi definida a agenda de luta da categoria, a seguir:

      1. PARALISAÇÃO DE 48 HORAS
        – Quarta-feira (2):

        Às 9h  –  Manifestação na SMED
        Às 14h – Estaremos juntos com as centrais sindicais, na Praça da Piedade, em vigília pela decisão do Congresso em relação à investigação de Michel Temer
        -Quinta-feira (3):

        Às 9h –  Protesto na Praça da Piedade
      2. REPOSIÇÃO DE AULAS
      3. AUXÍLIO-TRANSPORTE
        a) Fazer os cálculos com base na LC 01/91, ART. 76
        b) Constatada a necessidade de reparação, preencher a RDV
        c) Requerer recálculo e correção via RDV à SMED
      4. Caminhada após assembleia
      5. Cobrança judicial da mudança de nível
      6. Realizar o Dia Municipal de Luta, em conjunto com os demais servidores municipais
      7. Aprovar moção a ser encaminhada aos deputados para que votem pela denúncia de Temer

 

Após a assembleia, os trabalhadores saíram em caminhada até a Praça Municipal, com faixas, cartazes, carro de som e muita disposição para conscientizar a população sobre a situação da Educação em Salvador. São inúmeros relatos de escolas com infraestrutura precária e estudantes que sofrem com falta de material didático e de apoio, alimentação escolar, água encanada, material de limpeza, gás, segurança e outras necessidades básicas para o aprendizado.

Por isso, a APLB-Sindicato conclama toda a categoria para se manter firme na luta e participar das atividades, a fim de exigir os nossos direitos previstos em lei e a valorização dos nossos profissionais!

Nenhum direito a menos!

Vamos à luta!

Fora Temer!

Fotos: Getúlio Lefundes | APLB-Sindicato

 

 

Top