APLB-Sindicato – Rede Estadual e Interior – APLB-Sindicato na festa da Lavagem do Bonfim. CTB convoca sindicatos

APLB-Sindicato na festa da Lavagem do Bonfim. CTB convoca sindicatos

9 de janeiro de 2017 5

A CTB Bahia está convocando todos os sindicatos e dirigentes classistas para participar da Lavagem do Bonfim, que acontece na próxima quinta-feira, 12 de janeiro, em Salvador. A ideia é montar um grande bloco para levar as bandeiras dos trabalhadores para o cortejo que sai do Comércio, em direção à Colina Sagrada. A concentração será ao pé da Ladeira da Conceição, a partir das 8h.

“Fé na luta. Nenhum direito a menos!”  foi o tema escolhido para embalar o bloco classista, que será animado por uma fanfarra  durante os 8 quilômetros da festa. “Fizemos uma reunião nesta quinta (5) e decidimos unificar o nosso material de protesto em torno de cinco eixos comuns: contra a retirada de direitos, a reforma da previdência e a terceirização e em defesa do SUS e de diretas já!. Estes temas devem estar presentes nas faixas, cartazes e estandartes que os sindicatos levarão para a Lavagem”, informou o presidente da CTB Bahia, Aurino Pedreira.

O bloco da resistência contra o golpe e a retirada de direitos contará ainda com o reforço das demais entidades que compõem as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo na Bahia, que também participam do cortejo até o Bonfim.

A festa

A Lavagem do Bonfim é a segunda maior festa popular da Bahia, perdendo apenas para o Carnaval. O ritual, que se repete todos os anos desde 1754, reúne milhares de pessoas e acontece sempre na segunda quinta-feira do mês de janeiro.

O festejo começa com um ato ecumênico na Igreja da Conceição da Praia, no Comércio, de onde a multidão segue em uma caminhada de 8 km até a Igreja de Nosso Senhor do Bonfim, no bairro do Bonfim. O cortejo é comandado por baianas com trajes típicos, que carregam vasos com água de cheiro para lavar as escadarias da igreja.

5 Comentários »

  1. João 15 de janeiro de 2017 at 6:37 - Reply

    Mais um ano perdido na Bahia

  2. Maria 13 de janeiro de 2017 at 17:58 - Reply

    Professores precisam de aumento salarial

  3. Álvaro 9 de janeiro de 2017 at 18:31 - Reply

    Como assim nenhum direito menos? Em 2016 ficamos sem reposição inflacionária, escolas funcionando caoticamente por falta de funcionários e ou materiais. Até hoje o governo deve salários de 2016 aos terceirizados. Engavetou-se o PROHABIT, bem como o processo da URV. 2017 deveríamos ter um novo processo de mudança de nível e padrão, aí vem a APLB e o governo com um curso que só contempla 2000 professores, os quais foram duramente prejudicados com os processos anteriores. Tá feio APLB.

  4. vivaldo ferreira de souza 4 de janeiro de 2017 at 8:10 - Reply

    O bloco dos desesperados,grito dos excluídos daqueles que deram sangue durante anos e são massacrado pela CAD na hora da aposentadoria nem com reza resolvem e penitência continua em mais um ano letivo rogando ao senhor do Bonfim piedade,paciência,simplicidade e sabedoria para poder aguentar o que um dia fizemos por amor a profissão.

  5. Darcy Pimenta nunes 3 de janeiro de 2017 at 11:57 - Reply

    Vai ter camisa? Se sim onde pegar?

Deixe seu comentário »