APLB-Sindicato – Rede Estadual e Interior – Veja resoluções do 33º Congresso Nacional da CNTE encerrado neste domingo, 15

Veja resoluções do 33º Congresso Nacional da CNTE encerrado neste domingo, 15

15 de janeiro de 2017 13

 

 

 

O 33º Congresso da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) aprovou neste domingo (15) o indicativo de Greve Geral para o dia 15 de março. A APLB-Sindicato mantém posição de apoio à greve, no período de 15 a 25 de março, com a realização de várias atividades políticas.

A mobilização da Confederação e entidades filiadas tem como principais reivindicações o fim ao golpe de Estado no Brasil, a não aprovação da reforma previdenciária e pelos investimentos necessários e previstos no Plano Nacional de Educação (PNE). Cada estado também poderá agregar os seus eixos específicos e locais.

De acordo com o presidente eleito da CNTE, Heleno Araújo, está previsto para o dia 8 de março deste ano a realização de assembleias deliberativas, com atos e passeatas, para deliberar sobre a Greve Geral. Também será formada uma coordenação nacional de greve geral com membros da diretoria executiva da CNTE e um representante de cada sindicato filiado.

O professor Rui Oliveira afirma que a APLB-Sindicato apoia a paralisação com avaliação no dia 25 de março.  “Depois da avaliação a categoria é que dirá qual caminho seguir”, diz Rui.

Mudança no Estatuto

Além do indicativo, os delegados também aprovaram uma renovação do estatuto da CNTE que amplia de três para quatro anos o mandato da diretoria executiva. A justificativa da Articulação Sindical/CTB/CSD/O Trabalho/MS, entidades que propuseram a mudança, é que a alteração adequa a CNTE às estruturas estatuárias da CUT e da Internacional da Educação, além de reduzir os custos burocráticos sem prejudicar os debates políticos.

Com as novas resoluções aprovadas, também será dever da CNTE incluir na estrutura diretiva da entidade um departamento específico para a juventude da educação. Resoluções sobre Política Educacional, Balanço do CNTE, Políticas Permanentes e Plano de Lutas também foram aprovadas.

Confira aqui as resoluções e moções aprovadas.

Clique e Confira tudo que aconteceu no 33º Congresso da CNTE

Veja a galeria de fotos do 33º Congresso

 

 

Na manhã desta sexta-feira, ocorre o painel sobre política sindical, mediada pelo coordenador da APLB-Sindicato, Rui Oliveira.
A mesa terá as intervenções de João Felício (CUT), Adilson Araújo (CTB), Janelei Albuquerque, Jandira Uehara, além de representantes da Intersindical e Conlutas.

Leia mais no site da CNTE

 

 

 

Notícias anteriores

Na primeira reunião do Conselho Nacional de Entidades (CNE), da CNTE, de 2017, nesta quinta-feira (12), diversos assuntos de interesse dos educadores estiveram na pauta de debates, entre eles, o reajuste do piso salarial. A reunião ocorreu durante o 33° Congresso Nacional da CNTE, em Brasília.

Clique e leia mais no site da CNTE

Nesta quinta-feira, educadores da Bahia presentes no 33º Congresso da CNTE, em Brasília, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães.

O professor Rui Oliveira coordena a reunião da delegação da CTB.

Clique e leia mais no site da CNTE.

 

Notícias anteriores

33 congresso da cnte botao site 290x290

Cerca de 2.500 representantes da Educação do Brasil e de diversos países estarão reunidos desta quarta-feira (11) até domingo (15), no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília-DF, para o 33º Congresso Nacional da CNTE.

Para o presidente da CNTE, Roberto Leão, o Congresso será um momento muito enriquecedor. “Essa troca de experiências entre profissionais de todo o mundo, nos dará mais subsídios para juntos continuarmos na luta por uma educação pública, gratuita, laica e de qualidade”.

“Paulo Freire: Educação Pública, Democracia e Resistência” esse é o tema do Congresso, que tem como objetivo discutir e avaliar os rumos, avanços e retrocessos da legislação e eleger a nova diretoria da Confederação para a gestão 2017-2020.

Dentre os assuntos que serão destaques no encontro estão: as conjunturas internacional e nacional, as políticas educacional e sindical, o balanço político, as políticas permanentes e o plano de lutas da categoria.

Seminário Internacional

No primeiro dia de programação (11/1), será promovido um Seminário Internacional, com a presença de representantes de diversos países, como Argentina, Paraguai, Uruguai, Portugal, Angola, Suécia, Estados Unidos, Japão, Alemanha, Noruega, Haiti e Canadá, além do movimento social brasileiro.

As organizações convidadas irão exibir trabalhos relacionados aos desafios educacionais de seus países, projetos dos movimentos sindicais envolvidos com o tema e ainda apresentar um panorama geral do assunto em suas regiões.

A APLB-Sindicato está presente no evento.

 

Acesse o hotsite do congresso.

13 Comentários »

  1. Álvaro 18 de janeiro de 2017 at 5:17 - Reply

    E será que teremos assembleia APLB? Já se vão anos sem isso na rede estadual, sabe-se lá por quais motivos não é mesmo?

  2. joel 16 de janeiro de 2017 at 21:49 - Reply

    Estou batendo na mesma “tecla ” apenas para lembrar ao Sindicato,que os professores grau I,não foram contemplados com nenhum reajuste desde 2015. Obigado

  3. joel 16 de janeiro de 2017 at 21:40 - Reply

    Os professores da Tabela Especial Grau I, continuam com o piso de 2015 – 1.980,12 ! E agora José ?

  4. pablo 16 de janeiro de 2017 at 16:37 - Reply

    Aplb, quando acontecerá o curso para mudança de grau para todos os professores? 2017 chegou. Estamos np 3 ano. Que diz APLB? Mudança de grau já.

  5. Ceiça Moraes 14 de janeiro de 2017 at 21:32 - Reply

    Sim!! É esse reajuste de 7,64% chega ao nosso contra cheque quando?? Ou seja, é para todos os professores?? Espero que sim!!
    Fala aí Aplb!!!
    É a URV cadê????????

  6. lila 13 de janeiro de 2017 at 23:39 - Reply

    E os aposentados vao continuar na conta do esquecimento?

  7. Marcos 13 de janeiro de 2017 at 15:27 - Reply

    E agora o governo do PT vai fazer o que com o novo piso e a ajuda do Governo Federal para pagar o reajuste?

  8. Marcus 13 de janeiro de 2017 at 12:21 - Reply

    Se o governo ferir o plano de carreira, cabe a nós lutarmos para que o mesmo seja respeitado. Além do mais, isso seria o reajuste mínimo a ser dado, pois o ano passado praticamente não houve reajuste

  9. Marcus 13 de janeiro de 2017 at 12:18 - Reply

    [11:09, 13/1/2017] +55 75 8157-7447: Governo envia à Alba projeto que garante cumprimento da lei do piso …
    http://www.portaldoservidor.ba.gov.br/…/governo-envia-alba-projeto-que-garante-cumpri...
    30 de jun de 2016 – Governo envia à Alba projeto que garante cumprimento da lei do piso nacional do magistério público … Já no ano de 2017, o impacto será de R$ 162,6 milhões. Para o governador Rui Costa, trata-se de investimento: “só …
    Você visitou esta página 3 vezes. Última visita: 12/01/17
    [11:11, 13/1/2017] +55 75 8157-7447: Só para lembrar o que foi feito no ANO PASSADO.

    Só para lembrar o que foi feito no ANO PASSADO.

  10. Ujoao 13 de janeiro de 2017 at 10:22 - Reply

    O governo do PT no estado da Bahia só dá aumento integral do piso para o nível inicial ( grau 1) , para os demais níveis sempre ficam achatados , com aumentos menores. Vamos ver como vai agir a Aplb esse ano!

  11. Marcus 12 de janeiro de 2017 at 23:24 - Reply

    Gostaria de ver a tabela reajustada com o Novo Piso Nacional.

  12. Neusita 12 de janeiro de 2017 at 20:10 - Reply

    Certamente agora irão desaparecer com umas três colunas da tabela para fantasiar que a Bahia paga o piso.

  13. Marcus 12 de janeiro de 2017 at 12:39 - Reply

    O ministro da Educação, Mendonça Filho, anunciou que o piso salarial dos professores terá reajuste de 7,64% em 2017, acima da inflação. Com o reajuste, o piso salarial dos professores da educação básica será de R$ 2.298,80. Garantimos ganho real. #mec #pisosalarial

Deixe seu comentário »