APLB-Sindicato – Rede Estadual e Interior – Nada de desânimo. Nada de ceder às ameaças do governo. Ocupação continua na Assembleia Legislativa

Nada de desânimo. Nada de ceder às ameaças do governo. Ocupação continua na Assembleia Legislativa

27 de abril de 2012 83

Fotos: Manoel Porto (assembleia e passeata em 27/04/2012)

A GREVE CONTINUA!

Nós vencemos inimigos poderosos, temos uma caminhada de vitórias ao longo dos 60 anos da APLB-Sindicato – completados em 24 de abril – e por isso o que acontece no momento é mais um obstáculo que a categoria vai superar e derrotar.

Notícias anteriores (sobre a festa realizada sexta-feira à noite)

TODOS À ASSEMBLEIA LEGISLATIVA, LEVE SEUS FILHOS, CURTAM A FESTA “DE VOLTA AOS ANOS 80″. ESPANTE O BAIXO-ASTRAL.

De volta aos anos 80, este é o mote da festa que a categoria faz nesta sexta-feira no saguão da Assembleia Legislativa.

Foi uma década em que todos nós sonhávamos e lutávamos por um país democrático. Conseguimos redemocratizar o país, mas infelizmente alguns militantes daquela época e que hoje estão no poder, eleitos inclusive pelos trabalhadores em educação, surpreendentemente demonstram práticas ultrapassadas de forças negativas da sociedade.

83 Comentários »

  1. Prof. Raimundo 1 de maio de 2012 at 20:53 - Reply

    Esse é o PT: Partido de Tiranos, de um governador mentiroso, sem palavra. E o PC do B, hein, Crimeia? Pelegou junto com o PT? Avante, companheiros e companheiras! Fora PT e sua corja!

  2. Jorge 1 de maio de 2012 at 20:30 - Reply

    COMO É QUE UM GOVERNO QUE JOGA A EDUCAÇÃO NO LIXO QUER SEDIAR A COPA DO MUNDO DE 2014? O MUNDO PRECISA SABER DISSO! BBC, AL JAZEERA, OS CAMBAL. VAMOS POR A BOCA NO MUNDO!!!!!

  3. Edineide Nunes 1 de maio de 2012 at 12:45 - Reply

    Companheiros,
    A memória de Wagner é curta, ele esqueceu que foi sindicalista, fez muita greve, deixou muitos pais de familia desempregados, fez muitos patrões chorarar.e garantiu aos funcionáriospúblicos melhores salários,mas o poder contaminou-o,esqueceu de onde ele veio, ele voltará para onde ele nunca devia ter saido.
    Quer ver quem é o homem dê-lhe o poder. Fora Wagner e sua corja.
    Unidos venceremos.
    Neide Nunes, Miguel Calmon

  4. Fabi 1 de maio de 2012 at 0:21 - Reply

    PESSOAL, TEMOS DE TER CUIDADO COM O QUE LEMOS, VEMOS, OUVIMOS E ESCREVEMOS, pois percebo q algumas pessoas estão querendo desestabilizar e colocar em contradição a greve. Muito cuidado nessa hora!
    #ficaadica!#

  5. Dora 30 de abril de 2012 at 17:54 - Reply

    Na minha conta não entrou nenhum centavo.Deus seja louvado!!! Só o governador não entende que esta sua manobra o tiro saiu pela culatra… Estamos e ficamos mais fortes e conscientes que é preciso coragem e determinação para a conquista de uma Educação de qualidade, e isto se aplica direto ao salário do professor. Desistir jamais. Estamos firmes e fortes!!!

  6. maria amelia 30 de abril de 2012 at 16:52 - Reply

    Estou de licença maternidade com uma criança de apenas vinte dias e qual surpresa foi a minha quando percebi que mesmo de licença meu salário foi descontado.Como passar o mes com dois filhos e contas para pagar? Apesar de estar de licença torço pela nossa vitória. Deus é mais.

  7. Priscila 30 de abril de 2012 at 12:59 - Reply

    ACREDITO NA NOSSA VITÓRIA,MESMO SEM SALARIO,OLHA Q TOU NUMA SITUAÇÃO DE QUASE CALAMIDADE 20HS APENAS E GRAVIDA,DAQUI A 20 DIAS FAREI UMA CESAREA,ESPEREI O SALARIO PARA COMPLETAR MEU ENXOVALA À VISTA E …NÃO CAIU 1$ NA MINHA CONTA. PEDI AJAUDA DA MINHA FAMILIA ,MAS NÃO VOU DESISTIR PRINCIPALMENTE PELA VIDA QUE CARREGO NO VENTRE E FALTA POUCO VIR A ESTE MUNDO.QUERO MOSTRAR A ELE A NÃO DESISTIR ,N SE AJOELHAR N ESMURECER,A SEMPRE TER FÉ E PEDI AUXILIO E AJUDA PARA QUEM NOS AMA E SEMPRE TEM ALGUÉM POR NÓS,PRINCIPALMENTE QDO ESTAMOS PELO CAMINHO DO BEM.

    • Marlon 30 de abril de 2012 at 14:38 - Reply

      Pra esse governador eu só espero uma catástrofe natural.

      Uma pessoa dessa,que nem pode ser chamada de cidadã merece mesmo ter uma grande lição.

      A Bahia pede vingança já!

  8. Ginaldo 30 de abril de 2012 at 10:58 - Reply

    Vagner você não tem moral para chamá-lo de senhor governador…Você que pregou tanto o descaso de Paulo Souto e Acm que não valorizavam a segurança,saúde e educação que no seu governo seria diferente e ao contrário,está sendo o pior governador do nosso Estado em todos os tempos,mas aguarde,a resposta virá em breve.Os 180 reais que recebi ,depois de 32 anos de sala de aula,vão marcar minha vida para sempre.Ou quem sabe,entrarei no livro dos recordes…

  9. Vanda 30 de abril de 2012 at 10:49 - Reply

    Tomei um grande susto ao verificar que nenhum real foi creditado como salário.O que fazer??? A quem recorrer???

  10. Rita 30 de abril de 2012 at 8:07 - Reply

    Aqui em Conceição do Almeida, Santo Antonio de Jesus, São felipe, o movimto continua forte, adesão total. Espero que dessa vez os professores não recuem, permaneçam assim, fortes. É necessário mostrarmos que somos importatentes e que não somos “mendigos” que se contentam com migalhas. Somos pensantes, formadores de opinião, portanto, merecemos respeito. É necessário , também, que se esclareça para os professores de nível médio o que acontecerá com eles, pois muitos estão alheios. Estamos sem dinheiro, mas felizes com a nossa postura.

  11. Sobrinho 30 de abril de 2012 at 5:03 - Reply

    Desconto em vencimentos por dias parados em razão de greve tem repercussão geral (significa que todas as cortes devem adotar, mesmos que discordem)O Supremo Tribunal Federal (STF), por meio do Plenário Virtual, reconheceu a existência de repercussão geral em matéria discutida no Agravo de Instrumento (AI) 853275, no qual se discute a possibilidade do desconto nos vencimentos dos servidores públicos dos dias não trabalhados em virtude de greve. Relatado pelo ministro Dias Toffoli, o recurso foi interposto pela Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec) contra decisão da 16ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ), que declarou a ilegalidade do desconto.Para o TJ-RJ, o desconto do salário do trabalhador grevista representa a negação do próprio direito de greve, na medida em que retira dos servidores seus meios de subsistência. Além disso, segundo o acórdão (decisão colegiada), não há norma legal autorizando o desconto na folha de pagamento do funcionalismo, tendo em vista que até hoje não foi editada uma lei de greve específica para o setor público.De acordo com o ministro Dias Toffoli, a discussão acerca da efetiva implementação do direito de greve no serviço público, com suas consequências para a continuidade da prestação do serviço e o desconto dos dias parados, é tema de índole eminentemente constitucional, pois diz respeito à correta interpretação da norma do artigo 37, inciso VII (Art. 37, VII – o direito de greve será exercido nos termos e nos limites definidos em lei específica; Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998), da Constituição Federal.O ministro reconheceu que a discussão pode se repetir em inúmeros processos, envolvendo interesses de milhares de servidores públicos civis e da própria Administração Pública, circunstância que recomenda uma tomada de posição definitiva do Supremo sobre o tema. “A questão posta apresenta densidade constitucional e extrapola os interesses subjetivos das partes, sendo relevante para todas as categorias de servidores públicos civis existentes no país, notadamente em razão dos inúmeros movimentos grevistas que anualmente ocorrem no âmbito dessas categorias e que fatalmente dão ensejo ao ajuizamento de ações judiciais”, afirmou o ministro Dias Toffoli.No caso em questão, servidores da Faetec que aderiram à greve, realizada entre os dias 14 de março e 9 de maio de 2006, impetraram mandado de segurança com o objetivo de obter uma ordem judicial que impedisse o desconto dos dias não trabalhados. Em primeiro grau, o pedido foi rejeitado. Porém, a 16ª Câmara Cível do TJ-RJ reformou a sentença, invocando os princípios do devido processo legal e da dignidade da pessoa humana.O entendimento do TJ-RJ foi o de que, não havendo lei específica acerca de greve no setor público, não se pode falar em corte ou suspensão de pagamento de salários dos servidores por falta de amparo no ordenamento jurídico. “Na ponderação entre a ausência de norma regulamentadora e os princípios do devido processo legal e da dignidade da pessoa humana, devem prevalecer estes últimos”, diz o acórdão.

  12. Sobrinho 30 de abril de 2012 at 5:02 - Reply

    Espero que Deus possa iluminar as mentes dos nossos governantes abrindo diálogo com o nosso sindicato para acabar logo com essa greve que só prejudica ainda mais um ensino público abandonado pelos poderes públicos, como esse daquí da Bahia.

  13. Sobrinho 30 de abril de 2012 at 4:59 - Reply

    Repassando III

    Cristovão Augusto publicou no FACEBOOK
    16 de Abril de 2012 11:29

    “Mídia por favor, avisa aí para a população que quem é professor padrão P grau I (com graduação) e tem 20 horas semanais está ganhando R$ 780 de vencimento base. Onde vocês conseguiram a informação falsa de que todos professores têm 40 h e ganham R$ 3000? Divulguem a verdade, não seja vendida.Caro repórter, ilegal é a justiça em que deixa o governo desrespeitar, a constituição , STF, o MEC e ele foi avisado sim, da greve,basta olhar no site da APLB as cartas que foram mandadas para o SEC. e tem mais Com efeito, a Constituição Federal garante o exercício do direito de greve dos servidores públicos, observadas as limitações previstas em lei.Como é? A “Justiça” da Bahia, na calada da noite, decretou a ilegalidade da greve dos professores da rede estadual? Mas assim, tão rápido? Que coisa: o governador Jaques Wagner, para cumprir as determinações da Justiça ( URV, consignados, PISO) demora ou despreza a LEI. Agora, a ironia suprema: no governo de um EX-SINDICALISTA que se projetou politicamente através de greves, uma greve de professores é considerada ILEGAL! Será que algum professor ainda tem a coragem em defender tal governo?Veja só! Quando a policia fez a greve nenhum procurador se meteu, ficamos entregue aos bandidos por mais de 10 dias, agora os professores não podem fazer greve, o pior que pode acontecer é um professor sem vontade, nenhum aluno vai aprender nada, tem que sim, atender todas as reivindicações….e se a justiça obrigar a retorna o único trabalho que os professores vão ter nas escolas é assinar o ponto.Creio que com diálogo se resolve absolutamente tudo, porém quando somente uma das partes está disposta a dialogar e durante décadas é tratada como um “nada” como são tratados os professores neste país, defendo sim a postura da greve. ILEGAL e IMORAL é pagar um salário ridículo aos professores e não lhes dar qualquer apoio e recurso para exercerem suas atividades. Professor neste país é sinônimo de altruísmo. Um país se faz com homens e livros, uma verdade pura dita por um Brasileiro, Monteiro Lobato”.

  14. Paulo 30 de abril de 2012 at 0:35 - Reply

    A APLB não tomou nenhuma providência jurídica para evitar o corte no salário.Se existe um departamento jurídico,é prá atuar de meneira eficaz.Observei todos os comentários e TODOS estão cobertos de razão.Daí cabem algumas perguntas:
    1 – Por que não foi construído um fundo de greve?
    2 – Se existe uma briga partidária entre o PC do B e o PT,por que não rompem políticamente?definitivamente? Coragem!!! Tem???
    3 – Por que antes de começar a greve não nos preparamos junto ao STF,MP,MT,etc?
    4 – As empresas privadas deste Estado que comem juntas com este governo vão anistiar as nossas contas?
    5 – Por que o Diretor da APLB, Rui,disse que se cortar o que já não tem é a mesma coisa?Pegou Mal.
    6 – Quem vai conseguir se alimentar,pagar contas,honrar compromissos,com esse corte?
    7 – Saco vazio fica em pé?
    8 – A APLB vai emprestar dinheiros aos professores?
    9 – Será que não podemos mostrar ao Governo Provisório do Estado da Bahia que somos muito mais inteligentes do que ele?
    10 – Temos um Plano B,C,D…?
    Ao Governador Provisório:
    Me chamou a atenção o comentário da colega Ana.Ela foi muito feliz nas suas declarações.
    Governador, Não se ofenda,com o que vou lhe dizer.
    A prática política se enriquece quando os homens e mulheres de bom senso discutem e defendem idéias.Mesmo que sejam contrárias.
    Infelizmente você se mostrou incapaz de debater idéias,ou que é pior, jogou fora a capacidade das pessoas neste Estado de crer numa participação política mais sadia,menos mesquinha,mutilou o sonho dos nossos filhos e alunos de serem cidadãos de bem.
    Não estou nem um pouco preocupado com o seu passado de sindicalista.O que me preocupa é o agora!Com o poder nas mãos, você poderia ter construido a possibilidade REAL de mudar a educação do nosso Estado!
    Desistiu!Fugiu do debate!
    Se tornou igual ou pior que aqueles que antes todos nós combatíamos.Que pena!
    Não debate mais idéias!Não propõe!
    Corta salários! Engraçado!!!Nenhum juiz ou desembargador se indignou contra isso?!
    Hoje acordei triste.
    Olhei para os meus filhos e chorei.
    O que vou dizer a eles quando me perguntarem
    o que é participação política,cidadania,etc.?
    Vou dizer a eles que a vida de um ser humano tem que ser construída no mais ALTO GRAU DE DIGNIDADE,todos os dias,aqui em casa,nas minhas salas de aulas,nas ruas,por onde eu passar.
    Talvez assim possamos formar seres humanos melhores que eu e você!

  15. MARI 29 de abril de 2012 at 20:29 - Reply

    Q tem a ver festa com greve, principalmente depois do salario cortado,cuidado q a seriedade da greve pode ser confundida com férias de professor antecipada ou sermos acusados de irresponsáveis.

  16. Junior 29 de abril de 2012 at 15:19 - Reply

    O governo da Cachaça está surrupiando os professores , pare de tomar pitu e pague aos professores, já quis álcool!

  17. Antonio Dias 29 de abril de 2012 at 14:57 - Reply

    Estamos no mesmo barco, Coragem nós vamos chegar ao nosso obejetivo. Não dá mais pra aceitar ditador em nossa sociedade.Força irmãos,não pode haver VITÓRIA SEM LUTA!!!!!!!

  18. Fátima 29 de abril de 2012 at 12:24 - Reply

    Para enviar email para a globo, (jornalismo) acesse:
    http://falecomaredeglobo.globo.com/
    Central de atendimento ao telespectador – CAT
    fazer um cadastro e mandar ver.
    Não custa tentar.

  19. Fátima 29 de abril de 2012 at 11:43 - Reply

    AMEI VER O JORNAL NACIONAL NOTICIAR nossa mobilização, pelo descumprimento do acordo por parte do governo do estado. Todo mundo faz uma cara de indignação.Quero mais. quero ver no Faustão. GENTE! NÃO VAMOS ESMURECER, NOSSA LUTA É PARA VENCER.

  20. Lia, Ricardo, Gorete e cia 29 de abril de 2012 at 11:24 - Reply

    Sempre achei que na APLB tivessem bons adovogados.Com esse corte de salario provou-se o contrário. Não é justo,nem correto pois sempre repomos os dias parados. Preciso comprar remédio, pagar minhas contas. Governadou conseguiu nos punir. Ele provou que é um ditador e a justiça o apoiou. E agora Rui? Só repomos as aulas quando devolverem nosso dinheiro.

  21. Ércio Silva 29 de abril de 2012 at 8:00 - Reply

    Atenção APLB, após sentença da liminar que determina a Ilegalidade da Greve, a APLB tem somente 15 dias para IMPETRAR RECURSO. Já fizemos isso?????

    Dê- nos um retorno.

    Precisamos dessa informação.

    Grato.

  22. Nicéia 29 de abril de 2012 at 6:59 - Reply

    Tudo parece está perfeito para a SEC.Aposentei em 17 de fevereiro de 2001,já estamos em 2012,e não tenho Título Julgado,não recebi Imunidade Funprev,não recebi PASEP.Tudo está por aí,acumulado.E o pior,é que não temos nem o direito de saber como anda a situação dos Processos.Processos esses,sem atualização.Veja Proceso nº0056886-6/2009 e de nº 0044634-3/2003.Só Deus para ter misericórdia dos professores!!!!! Cada caso,é um caso,mas todos nós temos algo a reclamar.E reclamar a quem??????Não aguento mais,preencher RDV!!!!!!!!!

  23. Lu 29 de abril de 2012 at 0:53 - Reply

    Só para reforçar… essa é a educação de qualidade para um país que sediará a copa em 2014

    http://g1.globo.com/jornal-nacional/videos/t/edicoes/v/professores-estao-em-greve-em-dois-estados-e-no-df/1923684/

    Kd o ministro MERCADO ANDANTE que não toma uma posíção diante dessa calamidade???

  24. VITÓRIA 28 de abril de 2012 at 23:27 - Reply

    Essa é a nossa hora! Não nos acovardemos, não. Não vamos nos intimidar como se nós professore fóssemos “mortos de fome” que na primeira atitude de arrogância e insensiblidade à educação, voltemos a sala de aula envergonhados e mais desmoralizados ainda. É hora de unir as nossas forças, buscar a ajuda de Deus ao nosso favor, orar com fé e fazer a nossa parte. Sejamos inteligentes e corajosos. a liuta continua, mas a vitória é certa.

  25. Davidson Costa 28 de abril de 2012 at 21:32 - Reply

    WAGNER PROIBIU O BANCO DO BRASIL DE LIBERAR O EMPRESTIMO CONSIGNADO! VAMOS PEGAR O CREDITO SALÁRIO PARA PAGAR AS CONTAS!

  26. ANA MARIA 28 de abril de 2012 at 21:27 - Reply

    A “festa” é para animar os corajosos colegas que estão acampados na assembleia. Sou de Salvador e tenho acompanhado de perto. Gente, não é fácil permanecer lá! Só uma categoria muito indignada para resistir tanto tempo. Colegas, está difícil financeiramente para todos. Não esqueçamos de movimentos como o 8 de março onde mulheres foram assassinadas, mas as mulheres não pararam de lutar.Estou sem grana. Mas, muito revoltada com os rumos da política baiana. Wagner, agora descobrir que a indignação que serviu de combustível para você dizer que era contra o” sistema”, é o mesmo combustível que está me movimentando contra o seu governo.

  27. MARIA DE FÁTIMA 28 de abril de 2012 at 19:14 - Reply

    OS BANDIDOS SEM TOGA ESTÃO TODOS NAS SUAS MANSÕES, VOTARAM CONTRA NÓS OU MESMO NÃO VOTARAM COM MEDO DO DITADOR WAGNER E DE PERDER SEUS PRIVILÉGIOS NA FANFARRA DO PALÁCIO DA ASSEMBLÉIA, E NÓS AQUI SEM DINHEIRO, MAS VAMOS GRAVAR A LISTA DOS BANDIDOS NO NOSSO COMPUTADOR E DAR A RESPOSTA NAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS E ESTADUAL. QUEM RI POR ÚLTIMO, RI MELHOR….. KAKAKAKA.

  28. Rodrigo 28 de abril de 2012 at 19:12 - Reply

    Um dia um dos meus colegas, correndo risco de ser morto, desafiou os poderosos da cidade em praça pública por causa do baixo salário que recebia como professor municipal. Eu, temendo por sua segurança, tentei convencê-lo a ir embora daquele lugar.
    Ele me disse: “É melhor morrer de pé, do que viver ajoelhado!”
    Lutemos!!!!

  29. MARIA ANDRADE 28 de abril de 2012 at 19:03 - Reply

    Eu já enviei para os nossos grandes amigos PT, PCB, dentre outros, deputados que nos representam, até dá vontade de rir, mensagens de “VAMOS DAR A RESPOSTA NAS URNAS”. FAÇAM O MESMO, COLEGAR,Acessem os e-mails dos BANDIDOS SEM TOGAS, vamos lutar com todas as nossas armas, e a internet é uma arma poderosa. Somos formadores de opinião e vamos vencer. FORÇA E FÉ.

  30. MARTA 28 de abril de 2012 at 18:57 - Reply

    NEM CHEGOU O NATAL AINDA E O PAPAI NOEL CARIOCA JA ESTA MANDANDO OS PRESENTES HEHEHEHE

  31. DULCE 28 de abril de 2012 at 18:41 - Reply

    O QUE NÓS PROFESSORES PODEMOS FAZER É TODOS PEDIREM QUE O SALARIO SEJA DEPOSITADO EM OUTRO BANCO QUE NÃO SEJA O BB DO NOSSO GOVERNADOR

  32. Adson 28 de abril de 2012 at 18:21 - Reply

    Será que os alunos irão perder o ano por causa da greve ?

  33. Roberto 28 de abril de 2012 at 18:01 - Reply

    MAIS UM QUE DESMENTE O GOV. DA BAHIA! 28/04/2012

    Fundeb – Autor de uma tese de doutorado sobre o antigo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef), atual Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), o professor doutor em Educação pela Universidade Federal da Bahia (Ufba), José Wellington Aragão desconstrói o discurso que o governo do Estado sustenta.

    “É estranho o Estado dizer que não tem recursos para pagar os professores, uma vez que 60% das verbas do Fundeb são para o pagamento dos docentes, desde a pré-escola até o ensino médio”, acrescentou Aragão, ao avaliar que o livre trânsito do governador Jaques Wagner com a presidente Dilma Rousseff, ambos do PT, seria um facilitador para a captação dos recursos.

    FONTE JORNAL ATARDE

    Leia mais: http://infor-publico.webnode.com//

  34. Paulo 28 de abril de 2012 at 16:03 - Reply

    Aplb é preciso investigar o Banco do Brasil…
    Veja só pelo que entendi eles descontaram a folha de pagamento pelo meio….
    mais os impostos como previdencia parece que eles cobraram como nós tivessemos recebido o salário todo….

    Deve entrar no ministério público para apurar como foi esse corte…..
    Acho que BB ajudou o governo é preciso investigar isso

  35. Roberto 28 de abril de 2012 at 14:35 - Reply

    Cont… . Educação continua sendo prioridade só nos palanques políticos. Esse gov. , não consegue pagar o piso dos professores e tem criança estudando em escola de lata.

  36. Roberto 28 de abril de 2012 at 14:33 - Reply

    Compl. e o teto maximo para 6 mandados.

  37. Roberto 28 de abril de 2012 at 14:30 - Reply

    Caros colegas, já esta na hora também de fazer como foi na ficha limpa, gov., deputados e etc…, não pode mais ter aposentadoria com dois mandado e o teto maximo do INSS. Vamos divulgar nos site de relacionamento para todo Brasil para se transformar lei.

  38. ROBERTO VIANA 28 de abril de 2012 at 14:05 - Reply

    ESTOU INDGNADO COM A ATITUDE DO GOVERNADOR, CORTANDO NOSSOS SALÁRIOS, ELE ESTÁ CUSPINDO NO PRÓPRIO PRATO, MAS VAMOS PARA FRENTE, A LUTA CONTINUA….

  39. Maurício 28 de abril de 2012 at 14:01 - Reply

    Vergonha!!!!! Não somente pelo corte de salários, mas pela situacão vergonhosa na qual se encontram os professores baianos!!!! Que tristeza Sr. Governador!!!!! Lutemos colegas contra essa traicão!!!! A LUTA TEM QUE CONTINUAR!!!!!!!

  40. Ana 28 de abril de 2012 at 12:46 - Reply

    TEM PROBLEMA NÃO ELEIÇÕES MUNICIPAIS VEM AÍ!!!!!!!!!!!!!!!!QUERO VER AGORA EM QUEM A CLASSE VAI VOTAR!!!!

  41. Ademario Sena 28 de abril de 2012 at 12:34 - Reply

    Trabalhador@s em educação vamos monitorar as redes sociais com o nosso material é essencial fazer visitas as unidade escolares, cultos religiosos, feiras, associações, monitorar nosso parlamentares. Ta instigando lembrando que as informações salariais e o nosso salario com dias trabalhados forma sequestrado

  42. França 28 de abril de 2012 at 12:30 - Reply

    Nossos companheiros do Piaui não desistiram salários cortados(mais de 75 dias em greve) dividas adiadas;com um proposito :”sua dignidade”;suas as ações viraram notícia nacional.O MEC já convocou para negociação…Agora o governo da Bahia age de forma pior ainda assinou um acordo e voltou atrás.Não vamos desanimar..vamos mostrar para o Brasil quem é Jacques Wagner…comprometer o ano letivo…acabar com as eleições municipais do PT,mas tb comprometer a candidatura de Gabrielle…vamos a luta

  43. França 28 de abril de 2012 at 12:02 - Reply

    Eu já vi essa história em algum lugar…
    Aprovação de piso não acaba greve nas escolas da rede estadual

    O Governo do Piauí nadou, nadou e corre o risco de se afogar no seco. A aprovação do novo piso do professor, aprovada em regime de urgência na Assembleia Legislativa, por iniciativa do governo, não encerra a greve da categoria, deflagrada no primeiro dia de aula de 2012. Os ânimos ficaram ainda mais acirrados.

    O projeto reajustando os salários dos professores foi aprovado com 8 votos contra e 18 a favor. A proposta desagradou aos professores porque, para atingir o valor do piso, de R$ 1.451, acabou com a regência, incorporada ao novo salário. A regência variava de R$ 230 a R$ 260. A relatora do projeto, deputada Belê Medeiros (PSB), explicou que o governo fez o que pôde.

    Os deputados Marden Menezes (PSDB), Cícero Magalhães (PT), Evaldo Gomes (PTC), Firmino Filho (PSDB), João de Deus (PT) e Liziê Coelho (PTB), estes dois últimos da base governista, fizeram encaminhamento de voto contrário ao projeto do governo. Os parlamentares justificaram que o projeto do governo retirou conquistas históricas dos professores, como a regência.

    Marden Menezes apresentou um requerimento solicitando à Secretaria de Educação que envie para a Assembleia as prestações de contas do Fundeb de 2010 e 2011. Ele afirmou que “o Piauí vive um momento de crise profunda nos últimos dois meses, em razão da greve dos professores, que culminou com a perda do ano letivo para os alunos”.

    Evaldo Gomes acredita que o governo tem dinheiro bastante para pagar o piso nacional dos professores sem mexer com a regência. “O sindicato dos professores tem levantamento que indica que o governo recebeu R$ 23 milhões a mais do que no ano passado”, informou. Firmino Filho citou os números que provam um aumento no envio da verba do Fundeb para o Piauí: R$ 23 milhões, além dos R$ 86 milhões que vieram no ano passado.

    Cícero Magalhães (PT) foi mais duro e disse que o Governo do Estado vem se apropriando indevidamente da verba do Fundeb desde janeiro e bancou covardia com os professores, ao retirar uma vantagem conseguida há mais de 40 anos, que foi a regência.

    Mesmo sendo da base governista, o deputado João de Deus (PT) justificou que não poderia negar sua origem de petista e de criador do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Piauí. Nessa condição, não poderia, portanto, ficar contra a sua categoria. A deputada Liziê Coelho (PTB) também justificou que, “por uma questão de justiça”, não ficaria contra uma categoria profissional tão digna de respeito como os professores. O outro voto da oposição foi o do deputado Luciano Nunes

  44. Manoel Teles 28 de abril de 2012 at 10:36 - Reply

    Complementando dados acerca do meu comentário anterior, feito n/data, acrescento: o meu cadastro é 11.312444-0, e o meu processo de aposentadoria é o de nº 00322391/2010, de 22/06/2010, prestes, portanto, a completar 2 anos em 22/06 próximo.

    Tel.: (71) 9194.1244
    E-mail: m.teles565@hotmail.com

  45. Antonio 28 de abril de 2012 at 10:29 - Reply

    Colegas, a notícia abaixo está no site do jornal A Tarde de hoje(28/04). Acredito que isso deve ser amplamente divulgado, pois vai ajudar a desmascarar esse (des)governo. Vejam:

    Fundeb – Autor de uma tese de doutorado sobre o antigo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef), atual Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), o professor doutor em Educação pela Universidade Federal da Bahia (Ufba), José Wellington Aragão desconstrói o discurso que o governo do Estado sustenta.

    “É estranho o Estado dizer que não tem recursos para pagar os professores, uma vez que 60% das verbas do Fundeb são para o pagamento dos docentes, desde a pré-escola até o ensino médio”, acrescentou Aragão, ao avaliar que o livre trânsito do governador Jaques Wagner com a presidente Dilma Rousseff, ambos do PT, seria um facilitador para a captação dos recursos.

  46. Karla 28 de abril de 2012 at 10:08 - Reply

    Antônia, infelizmente, o Governador Wagner sabe das nossas dificuldades e é por isso que ele, um Ditador de 1ª linhagem tira do Professor o seu ganha pão. Qu grande decepção, para nós Professores que acreditávamos em um Nova Bahia.. Não fica claro para nós, baianos o que o Govrnador prioriza, pois aqui na Região Sudoeste falta água, o povo anda num perrengue só, a pobreza se instalou e não vemos ações do Governo a não ser na PUBLICIDADE onde a Bahia tem tudo. Agora só nos resta apelar pra Deus, e termos muuuuuuuuita FÉ p/que a ESPERANÇA não desapareça.Abraços P/os companheiros de LUTA!!!!

  47. Lucinha 28 de abril de 2012 at 9:53 - Reply

    Tsc, tsc… Essa parte da festa é um absurdo. Não dá para ninguém levar a sério a categoria dessa forma.

  48. Lucinha 28 de abril de 2012 at 9:51 - Reply

    Essa parte da festa é um absurdo. Não dá para ninguém levar a sério a categoria dessa forma.

  49. ricardo 28 de abril de 2012 at 8:56 - Reply

    Realmente os professores desta vez estão estão mostrando garra.Parabéns a todos esses guerreiros que estão na luta.

  50. andre 28 de abril de 2012 at 8:48 - Reply

    que beleza o Exco. Sr. GOVERNADOR cortou o nosso salário!!! agora não precisamos repor nada Sr. governadorzinho!!!!!!!!!!

  51. Manoel Teles 28 de abril de 2012 at 8:30 - Reply

    A nossa Constituição Federal de 1988 proíbe o trabalho forçado aos presidiários. Como nós, então, professores somos obrigados a um trabalho forçado durante 2, 3 ou 4 anos após a data de entrada do nosso pedido de aposentadoria e, ainda, numa circunstância dessa (num momento de greve) termos o nosso salário cortado?
    Ruy, quando você tiver uma audiência com o Senhor Secretário da Educação, queira abordar com ele essa questão. Sugiro que a APLB leve até ao Congresso Nacional e ao Supremo Tribunal Federal o argumento que mostra a inconstitucionalidade da Lei que trata do Abono de Permanência em Serviço, visto que o artigo específico que trata do referido abono não estipula nenhum prazo para o ente público deferir o Pedido de Aposentadoria feito pelo professor.
    Sugiro, ainda, a você que convoque uma reunião com todos os professores que estão com Pedidos de Aposentadoria em tramitação para podermos discutir esta questão com uma maior profundidade. OK? No meu caso, estou com o meu pedido tramitando desde 22/06/2010 , sendo que ainda o referido processo encontra-se tramitando na Secretaria de Educação. O meu salário, também, foi cortado, o que é totalmente descabível.

  52. Maria 27 de abril de 2012 at 23:56 - Reply

    Corte de salário . . . . .

    PIOR é o corte de RESPEITO
    PIOR é o corte na LUTA

    PIOR é o corte na EDUCAÇÃO . . . . .! !

  53. lazaro 27 de abril de 2012 at 23:43 - Reply

    Festa?! Cortes nos salários estão sendo anunciados e vcs fazendo festa? Que postura a APLB deve tomar diante das cidades onde o corte aconteceu no salario de todos os professores, inclusive os que são oposição a greve? Festa? EH com isso que se pretende chamar atenção da mídia?

  54. Kelly 27 de abril de 2012 at 23:38 - Reply

    A luta também continua em vários estados do Brasil

    “Professores em greve invadem sede do governo do Distrito Federal

    Há 47 dias, alunos estão sem aula no Distrito Federal. À noite, a Justiça determinou a reintegração de posse do Palácio do Buriti, mas os professores permanecem no local.”

  55. Antonio 27 de abril de 2012 at 23:38 - Reply

    Nossa manifestação aqui em Jaguaquara foi um sucesso, tivemos a presença de todos os professores, alunos e comunidade geral, usamos cartazes, faixas, apitos dentre outros. Logo iremos postar fotos da nossa passeata. E vamos continuar firmes. Amanhã dia 28 será em Itiruçu, mesmo ter cortado nosso salário, aliás isso já incomoda esse governo que quer calar nossa boca, mexendo no nosso salario, como esse ato não vai nos intimidar espermos que ele chame a categoria a uma negociação. Vamos continuar firmes! O momento é agora, ele não vai querer comprometer o ano letivo.

  56. Gil 27 de abril de 2012 at 22:53 - Reply

    O dinheiro de pagar os professores é especifico do fundeb, caso ele não nos pague, onde colocará esse dinheiro?

    Se ele descontou R $ 250,00 de cada professor , sendo estes um total de 37000 é só fazer as contas e observar onde vai jogar esse dinheiro.

    37000 x 250 = 9.250.000,00 (nove milhões, duzentos e cinquenta mil reais

  57. Marcos 27 de abril de 2012 at 21:10 - Reply

    Gente como vou pagar as contas e fazer a feira, com 70% do meu salario de abril cortado pelo governo.
    Quem pode emprestar para mim???
    E agora???

  58. Luciane Felisberto dos Santos 27 de abril de 2012 at 21:08 - Reply

    A reportagem do jornal do Nacional agora essa noite . Sobre a greve dos professores da Bahia e outros estados.Por favor acessem:

    Naciona:http://g1.globo.com/jornal-nacional/videos/t/edicoes/v/professores-estao-em-greve-em-dois-estados-e-no-df/1923684/

  59. Decepção 27 de abril de 2012 at 21:00 - Reply

    Aqui em Serrinha, a ideia é permanecer firme. Temos uma Assembleia geral marcada para 02/05 às 9 horas no Auditório da APLB. Estamos avisando a todos os professores. Todas as Escolas estaduais estão paradas. Aguardamos a vitória em breve. Força gente.

  60. Edivaldo de Souza Xavier 27 de abril de 2012 at 20:57 - Reply

    A APLB de Macaúbas foi a Paramirim, cidade vizinha, presenciar o movimento estudantil com a participação de professores, onde os estudantes pediam uma educação de qualidade e expressam através de textos suas indignações sobre a atitude do governo. Além disso foi distribuído para a população um texto esclarecendo os motivos da greve cujo conteúdo foi o seguinte:
    Movimento em favor da educação: pela valorização profissional e uma educação de qualidade!
    Os professores da rede estadual de ensino, juntamente com a comunidade escolar, quer através deste movimento esclarecer à população paramirinhense as razões que motivaram a paralisação das aulas em todo o estado da Bahia nos últimos dias.
    A categoria dos professores, que vem lutando por valorização profissional e educação de qualidade, criou uma expectativa muito grande depois de um acordo assinado com o governo do Estado de que a partir de janeiro de 2012 seria pago a todos os professores da educação estadual o reajuste do piso salarial determinado pelo governo federal. Porém, esse acordo não foi cumprido.
    O governo diz ter concedido o reajuste, mas na verdade transformou as vantagens conquistadas ao longo da história em um valor fixo (chamado de subsídio, que não sofre reajuste), o que prejudica muitos professores.
    Sabemos da importância do papel do professor para formação da sociedade. O descumprimento do acordo e a aprovação da retirada das vantagens do professor é uma perda para educação. É por isso que reivindicamos e contamos com o apoio e a compreensão de todos!
    Paramirim, 27 de abril de 2012

  61. professora surrupiada 27 de abril de 2012 at 20:57 - Reply

    Nota de falecimento:

    Os professores do Estado da Bahia comunicam o falecimento do governador do Estado. O enterro foi hoje, na Assembleia Legislativa do Estado da Bahia.

  62. professora surrupiada 27 de abril de 2012 at 20:53 - Reply

    Está sem dinheiro para pagar as contas depois que o governador engoliu o salário?
    Não se desespere, avise a todos os seus credores que suas contas não poderão ser pagas porque o governador ficou com o dinheiro que pertencia a eles.
    Imagine quantas pessoas descontentes terá!

  63. professora surrupiada 27 de abril de 2012 at 20:51 - Reply

    Cachaces Wagner terá muitos subsídios para comprar cachaça, wisky, tequila e tudo o mais que servir para enbriagar. Mas também, o álcool deve já ter comido os neurônios que restavam, inclusive os que serviam para a memória.

  64. Edivaldo de Souza Xavier 27 de abril de 2012 at 20:41 - Reply

    Os professores de Macaúbas estão na luta, inclusive hoje (27/04), precisamente às 1430min a APLB Sindicato reuniu com os estudantes das escolas estaduais com o objetivo de esclarecer sobre a situação de greve em que se encontram os professores da rede estadual, aproveitando o ensejo foi dada uma aula sobre movimentos sociais para que os estudantes possam organizar e lutar pelos seus direitos. às 16 horas aconteceu uma reunião com os professores com a participação dos alunos para discutir sobre os rumos da greve e decidimos ter mais uma reunião às 15 horas do dia 28/04 que contaremos com a presença da Diretora Regional de Seabra que presenciou a votação dos projetos na Assembléia Legislativa para que possamos definir os novos rumos da greve.

  65. Carmem 27 de abril de 2012 at 20:36 - Reply

    Tenho 26 anos de sala de aula, com licenciatura plena, adicionais, avaliação de desempenho, 40h, recebi R$399,06 de salário. Não sei qual o critério utilizado pelo “desgovernador” para o corte dos dias em greve.Ou seja,meu contra “choque” está quase zerado. Mas, a luta continua, agora com mais força!!! Sem salário, mas com DIGNIDADE!!!

  66. Vinicius 27 de abril de 2012 at 20:13 - Reply

    Vamos dar nossa resposta para esse governo, as eleições estão proximas, primeiro as municipais, nas quais vamos descartar os candidatos do BARBA BRANCA, e depois o seu sucessor, Sergio Gabrieli. Mostrar que nós funcionarios não somos escravos.

  67. carlos wilson 27 de abril de 2012 at 19:53 - Reply

    Não sei se o momento é pra festa!!!! E tem realmente o que se comemorar? Quem vai pagar as contas? E o corte no salário do professor?
    como fica? Quando ocorrerar a reposição do salário, se é que vai existir essa reposição?

    • Adriana 27 de abril de 2012 at 21:13 - Reply

      Creio que a festa serve para mostrar ao governador que estamos de cabeça erguida. Moro em Vitoria da Conquista, mas se estivesse em Salvador iria à festa.

  68. Ércio Silva 27 de abril de 2012 at 19:42 - Reply

    Gente, acordemos pra “Jesus”, rrsrsrsr…
    Agora o que de fato está nos incomodando é falta de visibilidade midiática!!!
    A mídia aparenta estar, toda, comprada.
    Podem perceber. Comentários minguados, e quando ocorrem, sempre mostrar pareceres controversos e unilaterais. Experienciem, façam buscas no google, no youtobe. Quase nada. As emissoras de rádio e TV, quase nada.
    CONSELHO: Vamos nos gente, revolucionar o que temos ao nosso dispor.
    Vamos divulgar nos veículos de comunicação social em massa: E-mails, Youtobe, facebooks, orkuts, blogs, sites, enfim…

  69. luisa 27 de abril de 2012 at 19:36 - Reply

    Força Antônia! A greve é também uma liçãde ética para seu filho e ele necessita, também, desse tipo de alimento. Estamos na mesma batalha, não desanime, pois só assim venceremos. Coragem e luz divina para ti.

  70. Ércio Silva 27 de abril de 2012 at 19:34 - Reply

    O pior não é o baixo salário. Entendemos que o pior é o vitupério da classe. Como que cara voltaremos às salas de aula?? Com que cara enfrentaremos a sociedade e a comunidade escolar?? com que cara responderemos quando perguntado: “Qual a sua profissão??”.

    Pois bem, pior do que o baixo salário, é com o desrespeito para com a classe trabalhadora em educação. É com o descaso com a categoria e com o seguimento social que necessita da prestação do nosso serviço!!! É com a visão negativa, legado que estamos deixando para as gerações futuras, que já, a partir de hoje, já ouvimos quando questionados, nossos alunos responderem: “Deus me livre de ser professor”.

    Se desistirmos agora, voltaremos de cabisbaixo, com a nossa dignidade e a nossa auto estima para baixo, também. E que qualidade poderemos ofertar para os nossos alunos, com o espirito aquebrantado????

    E o pior ainda, seria sairmos frustados, não por não termos conquistado a vitória,mas sim por não termos lutado o bom combate!!!

    Por isso devemos seguir o bom conselho de Martin Luther King :

    “É melhor tentar e falhar, que preocupar-se e ver a vida passar.
    É melhor tentar, ainda que em vão que sentar-se, fazendo nada até o final.
    Eu prefiro na chuva caminhar, que em dias frios em casa me esconder.
    Prefiro ser feliz embora louco, que em conformidade viver.”

    Ércio Silva
    Paulo Afonso- BA

  71. Irecê 27 de abril de 2012 at 19:24 - Reply

    A assembleia em Irecê nesta sexta-feira, dia 27, foi emocionante. Tivemos representantes de todas as escolas da cidade e de cidades vizinhas. Continuamos firmes na luta! Nada de desânimo companheiros e companheiras.
    Um abraço!

  72. Maria José dórea Plácido 27 de abril de 2012 at 19:23 - Reply

    Já basta que não recebemos o que de direito temos que é a URV, e ainda querem tirar nossos salarios . isso me parece piada. Esse governo só substima a inteligencia dos professores.Parece que ele se formou sem professor! Pode ate ser, quem sabe ? fica ai a minha indignação desse governo e o tal secretario de educação.

  73. crimeia cedraz 27 de abril de 2012 at 18:59 - Reply

    Fiz parte da militância do PC do B ainda na clandestinidade, participei das Diretas Já, fui ao primeiro congresso da UNE pós ditadura militar e agora esse retrocesso na Bahia? Que vengonha governador. Vamos continuar nossa luta.

  74. crimeia cedraz 27 de abril de 2012 at 18:56 - Reply

    Aqui em Coité panfletamos na feira livre e no comércio justificando a greve. Fomos muito bem recebidos pela comunidade.

  75. raimunda 27 de abril de 2012 at 18:05 - Reply

    Colega tudo na vida passa , só não passa o amor de Deus por nós , vamos ficar alguns dias sem pagar as contas, porem na maioria das vezes isso aconteçe, pois não temos como pagar todas as contas com esse salario , não desanime vamos a luta.
    juntas seremos fortes

    • Marco 27 de abril de 2012 at 23:09 - Reply

      Eu entrego Wagner ao diabo,ao satanás. E espero que o demônio estraçalhe com ele.

  76. Ada Maria 27 de abril de 2012 at 17:57 - Reply

    Lembre-se cara colega, que vc não estar sozinha! Ruim, é continuar a viver na mesmice do salário baixo e, principalmente no desrespeito deste governo para conosco. Infelismente, para conseguirmos algo que nos proporcione satisfação, temos que passar por estes caminhos difícies. Deus , é pelos os justo e vamos vencer mais esta batalha! Tenha fé!!!!

  77. Anthoni 27 de abril de 2012 at 17:49 - Reply

    Façamos a nossa manifestação virtual tbem
    Entrem e comuniquem, compartilhem no facebook.

  78. Antônia Ramos 27 de abril de 2012 at 17:45 - Reply

    É difícil manter o astral sem dinheiro no bolso e com várias contas para pagar e filhos para sustentar sozinha!!!!!!

    • Adriana 27 de abril de 2012 at 17:49 - Reply

      Força Antonia! A greve é para garantir um futuro melhor para você e seus filhos! Para todos nós. Já pensou, chegar a aposentadoria e ganharmos menos da metade do que ganhamos agora?

    • Patrícia 28 de abril de 2012 at 8:52 - Reply

      Calma,Antônia!Há muitos na mesma situação,inclusive,eu.Mas vamos nos unir!Nenhuma vitória foi conseguida sem luta!Muita paz e luz para você.

Deixe seu comentário »