APLB-Sindicato – Rede Estadual e Interior – Governo ainda não enviou o projeto do reajuste salarial para a Assembleia Legislativa

Governo ainda não enviou o projeto do reajuste salarial para a Assembleia Legislativa

6 de novembro de 2012 80

Projeto de reajuste de salário dos professores ainda não foi enviado à AL-BA

Por Juliana Almirante e Rodrigo Aguiar do Bahia Notícias

O projeto de reajuste do salário dos professores estaduais, oferecido pelo governo desde o fim da greve da categoria, em agosto, segue sem previsão de quando será enviado para a Assembleia Legislativa do Estado da Bahia (Alba). O presidente da Casa, Marcelo Nilo, informou que a administração estadual ainda não enviou a proposta para que seja apreciada pelos parlamentares. “Está na Governadoria.Ainda não chegou. É um problema mais do governo”, avaliou, em conversa com o Bahia Notícias.

Conforme a assessoria da Secretaria de Administração Estadual (Saeb), responsável pela relação junto aos servidores, a proposta de reajuste não chegou ao Legislativo porque continua em discussão por solicitação do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB).

O presidente sindical, Rui Oliveira, confirmou as conversas. “Ainda estamos negociando”, disse.

Por outro lado, o diretor de imprensa da APLB, Nivaldino Félix, afirmou que as negociações que seguem com o governo não são sobre ganho salarial. “O governo disse que não negocia, mas claro que a gente espera que aprove a nossa proposta do acordo de [aumento de] 22,22%”, considerou.

A proposta governista é de promoção por meio de curso, com ganho de 7%, em novembro deste ano e em março de 2013. “As conversas que seguem são sobre demandas úteis incluídas na pauta na categoria, como o plano licença prêmio, a questão dos readaptados que não podem mais estar em sala de aula, a aposentadoria, o calendário escolar, a realização de concurso público e a liberação dos que vão fazer mestrado e doutorado”, explica o diretor.

De acordo com Nivaldino Félix, durante a manhã e à tarde desta terça-feira (6), serão realizadas novas reuniões com a Saeb para tratar dos assuntos.

O líder da oposição na Assembleia Legislativa, Paulo Azi (DEM) acredita que o projeto de acréscimo ainda não seguiu para a Alba por entrave da administração.

“A votação do projeto vai causar um aumento do desconforto dos professores em relação ao governo. Não sei se eles estão fazendo uma avaliação do desgaste que eles estão sentindo ou se eles vão alterar os ganhos reais de 3% para 2013 e 4% para 2014, aprovados no ano passado. Até hoje a gente não tem notícia da Secretaria Estadual de Educação”, criticou o oposicionista.

Já o líder governista, Zé Neto (PT), havia previsto que a votação da pauta dos docentes só ocorreria após a realização das eleições municipais.

Contatado pelo Bahia Notícias, o deputado estava em viagem de retorno a Salvador e prometeu comentar o assunto durante esta terça-feira (6). 

80 Comentários »

  1. Maria Helena 19 de novembro de 2012 at 11:45 - Reply

    Pois é, Maria Cirlândia, 100% de desconfiança é fato. Fiquemos atentos, pois, o futuro é nebuloso tanto quanto o presente!

  2. Lúcia 18 de novembro de 2012 at 19:14 - Reply

    APLB, responda-me por favor, essa certificação/gratificação de 7% será também garantida aos professores que servem às redes municipais, que estão em escolas municipalizadas?
    Obrigada.

  3. Alex 16 de novembro de 2012 at 23:38 - Reply

    É.. VAMOAS FAZER UMA PARALISAÇÃO! EQUEM PERDER COM ISSO? O PROFESSOR Q TEM Q PAGAR AULAS DEPOIS! CHEGA! QUEM AQUI PEDE PARALISAÇÃO EH PQ TEM DOIS EMPREGOS! CHEGA! N VOU PARAR. VOU VOTAR CONTRA VAGNER. É O Q EU POSSO REALMENTE FAZER!

  4. Jeanne 16 de novembro de 2012 at 13:24 - Reply

    Os professores da rede estadual baiana continuam estarrecidos com todo este processo de desrespeito às leis e aos ganhos e direitos que ao longo de anos de lutas e grandes desgastes obtivemos. Gostaria de saber qual o papel efetivo do judiciário nestes casos, já que a Lei do Piso Salarial Nacional é lei federal e o próprio governo aceitou pagar a todos os docentes em acordo assinado em novembro de 2011? Até que ponto a Justiça pode garantir nossos ganhos aqui neste estado? Vejam colegas que todas as nossas reivindicações passam pelos políticos que devem ser responsabilizados diretamente pelo descaso na educação, pela desmotivação de professores e alunos e pelo completo sucateamento da estrutura física da rede. Uma vergonha nacional! Uma chaga que parece nunca ter fim! Vms continuar lutando!!

  5. Professor 15 de novembro de 2012 at 22:06 - Reply

    A proposta do Governo de curso on line é pura enrrolação. 22, 22% já! Gostaria de solicitar à APLB que nos informasse sobre a Certificação deste ano, que não aconteceu até o momento. Grato.

  6. Samanta 15 de novembro de 2012 at 18:07 - Reply

    Não enviou esse, assim como não pblicou o projeto aprovado na assemléia legislativa do ano passado a exatamente 1 ano de número LEI Nº 19.564/2011, o qual institui a meia entrada para professores, ou seja, basta sair em Diário, algo que já foi aprovado e não publicam… com isso ficamos passando constrangimentos quando pedimos o nosso direito nos acessos à teatros e cinemas ou espetáculos

  7. Denise 15 de novembro de 2012 at 1:35 - Reply

    Quero saber do Sr. Rui como vai ficar a situação dos aposentados?
    Qual a proposta dam APLB?

  8. ´Durval 13 de novembro de 2012 at 22:18 - Reply

    Colegas, nós somos fortes e provamos isso com 115 dias de greve e um prejuízo eleitoral ao governo. Agora podemos paralizar novamente, e o governo não tem mais desculpas a dar a população pois ele voltou a não cumprir outro acordo. E a populaçao vai entender que tem ou não razão.
    Nós somos fortes e vamos a luta até a vitória final.

  9. Antonio 13 de novembro de 2012 at 13:31 - Reply

    Então além de não ter a certificação que é um direito nosso, corremos o risco de ficarmos sem o aumento?

  10. Antonio 12 de novembro de 2012 at 14:52 - Reply

    Só quero lembrar que o recesso parlamentar está próximo e ainda não temos a nossa situação resolvida. Até quando vamos nos deixar ser enrolados por esse governo que não liga a minima para a educação.

  11. Professor 12 de novembro de 2012 at 12:42 - Reply

    VAMOS PARA POR 72 HORAS OU ENTÃO ACEITAR OS 7%. FICA SEM UM OU OUTRO NÃO PODEMOS MAIS.

    ESTAMOS NO PREJUÍZO. A GREVE FEZ O NOME DE MUITOS IREM PRA O SPC,INCLUSIVE O MEU.

    OS EMPRÉSTIMOS QUE FORAM FEITOS DURANTE A GREVE TAMBÉM NOS DEIXOU MAL FINANCEIRAMENTE.

    NINGUÉM NOS SOCORRE. SÓ DÍVIDAS E TRABALHOS EXAUSTIVAMENTE.

  12. Clara 11 de novembro de 2012 at 15:48 - Reply

    ASSEMBLÉIA JÁ!!!

  13. Quem luta vence 11 de novembro de 2012 at 13:50 - Reply

    A APLB, ao não divulgar nada da reuniao do dia 6 e ao postar essa reportagem, deixa claro que nao tem boas noticias e que a unica saida é aceitar (ressuscitar) a proposta rejeitada pela categoria.. essa é minha impressao. O que os colegas acham? lamentável…

  14. Sem acordos, greve 2013 já 11 de novembro de 2012 at 13:21 - Reply

    Ô governo enrolado viu

  15. Vitória 11 de novembro de 2012 at 9:39 - Reply

    Encerraremos o ano sem AG? Com a palavra, a Direção da APLB.

  16. Carlos Rodrigues 10 de novembro de 2012 at 22:11 - Reply

    Reportando-me ao meu comentário anterior as minhas colocações foram feitas de acôrdo com alguns comentários que me antecederam! por exemplo o fato de não dá importância às decisões legais, o não cumprimento do que combina, é sim ignorar e os agentes que tem essas práticas são os apedeutas, então as minhas afirmações. estão corretas e oportunas não são ofensas.

  17. Gildasio 10 de novembro de 2012 at 21:57 - Reply

    Pessoal da APLB precisamos de uma posição sobre a CERTIFICAÇÃO o ano esta se findando e até o momento a SEC não se pronunciou se haverá ou não a prova. Vai ficar assim mesmo é? e os que não foram classificados nos últimos exames irão ficar a ver navios!

  18. Decepçaõ 10 de novembro de 2012 at 9:21 - Reply

    Demos a resposta a esse governo recentemente, iremos dar, daqui a dois anos. Se DEUS quiser. PT NUNCA MAIS!

  19. Elias 9 de novembro de 2012 at 23:07 - Reply

    Vamos convocar uma assembleia extraordinária, mesmo que seja na Praça Castro Alves ou no Campo Grande. Isso é para já. O que o sindicato está esperando: as festas de final de ano, o tempo passar para esquecermos o sofrimento e as perdas? Urge que nos manifestemos!

    Primeira semana de dezembro, por 72 horas inicialmente.

    Comecemos a comentar com os alunos em sala e vamos pedir para que eles expliquem a situação a seus pais.

  20. Prof. Euclides 9 de novembro de 2012 at 18:49 - Reply

    Senhores, nossos representantes na APLB.
    Não cometam o mesmo erro da greve.
    Primeiro devemos garantir os 7% em novembro e em março (se é que virão). Se o governo quer que nos inscrevamos em curso on-line, que seja. Mas devemos garantir isso que ele está querendo dar,
    Depois lutamos por algo mais condizente com os 22% como deveria ser. Mas, vocês devem garantir o que o governo quer dar agora e não rejeitar simplesmente e ficar a ver navios.

  21. meire 9 de novembro de 2012 at 18:35 - Reply

    aplb precisamos de reajuste vamos a luta com urgencia

  22. marcelo 9 de novembro de 2012 at 16:19 - Reply

    ACHO QUE DEVEMOS FAZER PARALISAÇÕES E PASSEATAS NA COPA DAS CONFEDERAÇÕES PARA TRAVAR O TRÂNSITO E CHAMAR ATENÇÃO PARA NOSSA CAUSA

  23. ALVES 9 de novembro de 2012 at 11:05 - Reply

    Concordo ! Já que a APLB não resolve nada dos 7% + 7%, Não vamos lançar as notas da 3a e 4a unidade. Vamos travar o sistema SGE. O PM já vai receber a Gap 4 agora em nov/12 está no portal do servidor a mensagem.

  24. Maria 9 de novembro de 2012 at 3:56 - Reply

    Curso para 7% é a forma do governo lucrar.
    Ninguém concorda.
    PARALIZAÇÃO já !
    Precisamos de ATITUDE

    • Professor 12 de novembro de 2012 at 12:39 - Reply

      VAMOS PARA POR 72 HORAS OU ENTÃO ACEITAR OS 7%. FICA SEM UM OU OUTRO NÃO PODEMOS MAIS.

  25. Marcos 9 de novembro de 2012 at 3:50 - Reply

    Realmente,vcs ganharam em colocar o carlismo novamente no poder, só espero que ele não faça com vcs o que o avó dele fez, acabar com suas greves abaixo da porrada. Eu sei que vcs merecem melhores salarios porém vale lembrar do passado quando vcs tinham apenas o reajuste inflacionario, a realidade ainda não é sastifatoria mas basta comparar os contracheques para ver que tem melhorado e muito. Acho que o pt nessa eleição foi injustiçado e afirmo 80% estar na conta de vcs e 20% dos pms. Espero que vcs tenham feito boa escolha, agora é só aguarda.BOA SORTE.

  26. Greve em vão, mais uma do governador, enrolou mais uma vez 9 de novembro de 2012 at 0:48 - Reply

    Pelo jeito o governador passou mais uma vez a perna na gente, nem reajuste que prometeu nem que dar.

  27. pablo 9 de novembro de 2012 at 0:20 - Reply

    Resolvi voltar!!!!

    Agora para sugerir 8 dias de paralisação para mostrar para a sociedade o descaso do JW com nós professores. ou melhor, com o futuro deste estado e pais.

    paralisação já!

  28. paulo 8 de novembro de 2012 at 20:55 - Reply

    Temos que continuar com as nossas paralisações.

    Assembleia já. Chega de ser cordeiro APLB. Nós não queremos essa passividade.

  29. Fátima 8 de novembro de 2012 at 20:25 - Reply

    Muito pertinente o comentário da colega Maria Cirlandia,tudo isso é muito grave. Temos que continuar cobrando da APLB rapidez nas negociações. Como disse a colega “os políticos profissionais não dormem”. Portanto, não devemos permitir entre tantos desrespeitos, o arrocho salarial com os aposentados, um dia TAMBÉM SEREMOS APOSENTADOS.

  30. Ana Maria H. Ramos 8 de novembro de 2012 at 20:11 - Reply

    A única verdade é que há muito bla blá blá. Ninguém suporta mais essa situação… A negociação deve sim, ser prática e objetiva. Vamos ficar de braços cruzados esperando o desfecho? E haverá esse desfecho? Nós professores não temos que ter receio de nada, pois estamos cobrando aquilo que nos é de direito. Chega, todo ano é isso, tem que se brigar por algo que nos pertence? A classe está cansada, querem nos vencer pelo cansaço? Esta estratégia não é boa e todos já sabem disso. Nem professor, nem alunos e muito menos a comunidade aceita esse tipo de negociação. Todos querem praticidade e decisão. Prefiro acreditar em um breve acordo. Quando se trata de salário de servidores, etc, a conversa é longa, mas quando se trata de aumento dos mesmos, a velocidade é máxima, e não há espera de aprovação, eles mesmos se aprovam. Esse é o nosso… não muda nunca!

  31. Johny Lemos 8 de novembro de 2012 at 19:28 - Reply

    Ôpa eu ia esquecendo, a proposta do “dia estadual”, é com paralisação de 1 ou mais dias.

  32. Antônio 8 de novembro de 2012 at 19:08 - Reply

    Assembléia já! Queremos resultados concretos sobre: o reajuste do piso deste ano; o reajuste do piso de 2013; a certificação anual deste ano que não aconteceu; a URV etc. Chega de blá, blá, blá! Assembleia já!
    Se o governo não dê uma posição concreta, vamos segurar as notas e comeca uma nova greve.
    Assembleia já!

  33. omar 8 de novembro de 2012 at 18:49 - Reply

    se estamos em estado de greve podemos retornar novamente a greve.assembleia já imediatamente não acredito em acordo com esse governo.

  34. PROFESSOR 8 de novembro de 2012 at 18:25 - Reply

    APLB não concordo em abrirmos mão dos 14%,com tanta ENRROLAÇÃO vamos perder
    até esse REAJUSTE.
    Cadê o resultado das reuniões?

  35. Indignada 8 de novembro de 2012 at 17:35 - Reply

    A passividade e a cordeirice é algo lastimável para uma categoria aguerrida com a nossa. Retenha notas, pressione, chega de desrespeito a direitos e a lei. Assembléia já! Se o governo não desconhece a necessidade de cumprimento de Lei é necessário que o forcemos com o único recurso que temos concluir o ano letivo caso não seja respeitados direito e revogada a infame lei que transformou salário em subsídio. Pensem colegas, amnhã todos seremos aposentados. A luta é de todos. O único instrumento de luta e pressão que temos é este: não entreguem os resultados, infelizmente é a única alternativa do momento.

    • Indignada 8 de novembro de 2012 at 17:38 - Reply

      Correção: caso o governo continue desrespietando direitos e à lei, devemos utilizar do único recurso que temos: não concluir as unidades restantes.

  36. Rafael Cruz 8 de novembro de 2012 at 16:02 - Reply

    1 SEMANA DE PARALIZAÇÃO PARA DAR UM SUSTO EM JW. ACORDO ASSINADO TEM QUE SER ACORDO CUMPRIDO! AVANTE CATEGORIA, A DERROTA DELES NAS URNAS EM SALVADOR E FEIRA FOI DESASTROSA, VERGONHOSA. ADEUS OSWALDO BARRETO!

    • Professor 10 de novembro de 2012 at 1:19 - Reply

      DERROTA EM LAURO D FREITAS TAMBÉM,MOEMA A CANDIDATA A GOVERNADORA DE WAGNER NÃO ELEGEU O SEU SUCESSOR.

      VAMOS PARAR.SÓ SALÁRIO DO PROESSOR QUE NÃO MELHORA.

  37. Professor 8 de novembro de 2012 at 15:39 - Reply

    VAMOS PARAR POR 72 HORAS. TODO FINAL DE UNIDADE,O SISTEMA QUER AS NOTAS DOS ALUNOS. AGORA COM ESSA RECUPERAÇÃO PARALELA,É SÓ TRABALHO. VAMOS NOS VALORIZAR E PARAR JÁ.
    VAMOS ALERTAR O GOVERNADOR. SÓ TEMOS PELA FRENTE TRABALHO E DESGASTE FÍSICO E PEICOLÓGICO. NÃO VAMOS MORRER CALADOS,SIM A CADA DIA UM POUCO DE NÓS DE VAI PELOS ALUNOS,PELA EDUCAÇÃO,MAS NÃO SOMOS VISTOS EM NOSSOS DIREITOS. PISO É LEI.

  38. Ciumg 8 de novembro de 2012 at 14:49 - Reply

    Paralisação Já!!

  39. marcos 8 de novembro de 2012 at 14:03 - Reply

    ASSEMBLÉIA! ASSEMBLÉIA! ASSEMBLÉIA! ASSEMBLÉIA! ASSEMBLÉIA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  40. joana pereira 8 de novembro de 2012 at 11:14 - Reply

    PROPOSTA SALARIAL DO DIA 06/11 FOI PELOS BUEIROS DA SAEB E SEC, SÓ ENGANAÇÃO!!!!!!!!!!! ACORDA PROFESSOR, AGUARDE AS MERRECAS EM 2014..Eleições…

  41. marcos 8 de novembro de 2012 at 1:47 - Reply

    Sabemos que esse curso (certificação a qual temos direito) para que tenhamos o direito ao piso, é uma piada. Estão nos fazendo de idiotas todo o tempo. Piso é piso, é direito. Tantas artimanhas e o nossos direitos confiscado. Um acordo, dois acordos, três acordos…até quando…

  42. selma 8 de novembro de 2012 at 1:23 - Reply

    Pessoal, ouvi uma conversa de que foi solicitado aos diretores das escolas que fizessem uma sondagem com os professores a respeito do acordo proposto pelo governo durante a greve. Não sei da veracidade, mas onde há fumaça, há fogo.
    Por favor APLB, assembléia urgente.

  43. Raimundo 7 de novembro de 2012 at 23:52 - Reply

    Colegas a categoria esta apática estamos cordeiros diante dessa situação não mais possível acreditar no PT o poder mostrou quem são eles piores que os Carlistas demostramos nossa força no pleito municipal agora é hora do estadual.

  44. prof esperança 7 de novembro de 2012 at 23:43 - Reply

    Não sejamos inocentes nao haverá aumento nenhum e cuidado para nao tirarem o resto, o pouco, que temos, vcs gostam de serem enganados, ficam acreditando em fábulas, contos da carochinha, saci perere, bela adormecida,etc etc etc, acordem nossa classe nao existe pra ninguem nem pra nós mesmos.

  45. prof esperança 7 de novembro de 2012 at 23:37 - Reply

    A conclusao da professora M. Cirlandia é corretissima nao vamos nos enganar novamente, deste desgoverno, nao devemos esperar mais nada. O sindicato é fraco e nao trabalha pela classe depois que ouvi e vi o que os deputados em Brasilia votaram e fizeram com o projeto sobre o dinheiro do petroleo e nada para a EDUCAÇÃO, esqueçam pois nao é na BAHIA que vamos conseguir algo. Neste pais educação é embrolhação NADA.

  46. Thiago 7 de novembro de 2012 at 22:59 - Reply

    Assembléia JÁ!!!

  47. Valdez 7 de novembro de 2012 at 22:28 - Reply

    O GOVERNO SÓ VAI DAR O AUMENTO SE A CATEGORIA PARARRRRRR JÁAAAA. ASSEMBLEIA URGENTE

  48. Luíza 7 de novembro de 2012 at 22:10 - Reply

    Basta com delongas e enganações !
    ASSEMBLEIA JÁ!!!

  49. Raimundo 7 de novembro de 2012 at 21:37 - Reply

    A ARROGÂNCIA DO GOVERNADOR E SEU GRUPO FORTALECEU O COMBALIDO DEM. PORÉM, PARECE QUE O RECADO NÃO FOI ENTENDIDO, DESTA FORMA, A DERROTA DO PT E SEUS ALIADOS EM 2014 COMEÇA A SE DESENHAR. ELES ESTÃO QUERENDO FAZER POLÍTICA À “MODA ANTIGA” NA FORMA DA ENGANAÇÃO, COISA QUE SEMPRE COMBATERAM. SE NÃO MUDAREM SUAS PRÁTICAS, NÃO VÃO FICAR NEM UMA DÉCADA NO GOVERNO DA BAHIA, QUANTO MAIS QUATRO DÉCADAS, COMO FEZ O CARLISMO.

  50. A RESIGNADA 7 de novembro de 2012 at 19:16 - Reply

    CADÊ A CERTIFICAÇÃO, APLB? NÃO SERIA PRÁ ACONTECER ANUALMENTE?

  51. justo 7 de novembro de 2012 at 18:02 - Reply

    O GOVERNADOR JAQUES WAGNER PODERIA MANDAR UMA PROPOSTA PARA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA VERSANDO SOBRE CONTRATAÇÃO DE J. PORTUGAL PARA DAR AULÕES AOS PORFESSORES PARA CONCLUIEREM A CERTIFICAÇÃO ASSIM TUDO CORRERIA BEM PARA ELES.

  52. cesar alves 7 de novembro de 2012 at 17:59 - Reply

    APLB, PARE DE dizer que a categoria não aceita a proposta do governo em 7% em novembro e 7% em março. O governo vai colocar a culpa em voces de não pagar em Novembro. É melhor um pássaro na mão que Nada. Greve Já, vamos acabar com o ano letivo de 2012. Chega de Ingerência.

  53. Edna 7 de novembro de 2012 at 16:38 - Reply

    Parabéns Maria Cirlandia! Você escreveu o sentimento que tenho também. Estou decepcionada com a representação da APLB de Irecê. Pois na assembleia que decidimos voltar para as salas de aula, acordamos que se caso o governador viesse fazer a campanha para o candidato dele,iríamos nos organizar e fazer protesto. Depois tivemos outra assembleia e confirmamos o acordo. Entretanto, na semana que o governador viria, teríamos assebleia, mas a APLB não marcou a reunião e uma das representantes falou que aquele não era o momento porque poderia prejudicar a candidatura do candidato do PT. Graças à maioria da população o candidato de Wagner perdeu.
    Por que a APLB não fala que essa reuniões não se discute a questão salarial? Por que coloca uma nota dizendo que o governador ainda não mandou a lei para ser voltada, se nós a rejeitamos durante a greve? Eu gostaria muito de ter essas respostas.
    Um abraço!

  54. paulo 7 de novembro de 2012 at 16:31 - Reply

    Assembleia já!
    Paralisação de 1 dia já!

  55. Alessandra 7 de novembro de 2012 at 16:21 - Reply

    Não acredito em negociação depois de eleição porque os professores e pms contribuíram com os resultados na capital baiana. O desgoverno sabe do papel formador de opinião q o professor usa. Agora, se a APLB tiver uma mediazinha pode até sentar e falar sobre cursos, urv, piso… bla bla bla… Ou melhor vamos aguardar o próximo governo por que esse aí, já era!

  56. Ricardo 7 de novembro de 2012 at 16:10 - Reply

    E o resultados de tantas REUNIÕES cadê APLB? O que é que está realmente acontecendo?

  57. Josemar Miranda Silva 7 de novembro de 2012 at 15:59 - Reply

    Olá colegas!
    Olha! Desse mato entre APLB e governo não sai coelho. A direção do nosso sindicato e o governo tem o mesmo pensamento politico.
    Olha! A pauta dos encontros entre as duas partes estão se alterando a cada reunião. Cadê os processos que estavam no TJB e STF foram retirados? Principalmente aquele que transforma salário em subsidios e aquele que obrigavam os governadores a pagarem o piso de 22,2% em todo o país. Eles estão colocando uma pedra em cima da nossa luta e só temos uma forma de vence-los será através das eleições votando contra tudo e todos os traidores começado por uma reforma dentro do proprio sindicato que nos representam.
    Valeu! Fui.

  58. Maria 7 de novembro de 2012 at 15:53 - Reply

    Olá Colegas
    Na verdade o que presenciamos é a falta de compromisso com os profissionais de Educação. O salário defasado. Outra situação que até agora não sabemos, os aposentados terão direito ao aumento?., ou vamos morrer com esse mísero salário, até o momento nada é resolvido. Vamos a Luta colegas A APLB precisa falar

  59. pablo 7 de novembro de 2012 at 15:38 - Reply

    Gente!!!

    Pelo amor de Deus. Pára a Bahia que eu quero descer. Páraaaaaaaaaa eu vou pular.

    chega de tante mentira, tanta enrolação, tanta sacanagem com os profissionais da educação.

    puleiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

  60. joão Augusto 7 de novembro de 2012 at 14:44 - Reply

    E a tal da certificação acabou? É chegamos ao fundo do abismo. Cairemos ainda mais?

  61. joão Augusto 7 de novembro de 2012 at 14:39 - Reply

    APLB, teremos ou não o reajuste de 7% em novembro de 2012?

  62. Neilce 7 de novembro de 2012 at 14:25 - Reply

    Quero saber como está a situação sobre a questão de ampliação de carga horária de 20h para 40h (enquadramento).
    felicidades… neilce

  63. Aurelina Mutti 7 de novembro de 2012 at 13:14 - Reply

    Peço a diretoria da APLB, que nas negociações sobre os Readaptados, lembrem que os que estão prestes a se aposentar, não podem esperar 5 anos para levar as vantagens devolvidas, principalmente se estiverem para sair na compulsória.

  64. Anttonio Marques 7 de novembro de 2012 at 12:57 - Reply

    O PT tenta legitimar a sua “democracia autoritária”. Foi assim com a tentativa de impor uma lei de imprensa, é assim com a proposta de Dilma com uma revisão do direito de greve e tudo isso é gravíssimo. A Bahia não possui a melhor justiça do país o que leva as categorias profissionais a se unirem cada vez mais e melhor contra a opressão da ditadura baina. A urgência é gritante!!!!!

  65. WILMA 7 de novembro de 2012 at 11:31 - Reply

    DESDE O DIA 6 DE AGOSTO QUE RETORNAMOS À SALA DE AULA ,TRABALHANDO SÁBADOS E ATÉ AGORA NADA DE REAJUSTE DO PISO OU O QUE QUER QUE SEJA.A APLB NOS ENGANA COM ESSAS REUNIÕES MENTIROSAS COM ESSE GOVERNADOR DITADOR.ATÉ QUANDO APLB?CADÊ A ASSEMBLÉIA PROMETIDA?ESTOU SATURADA DE TUDO.

  66. cesar 7 de novembro de 2012 at 10:54 - Reply

    Interessante notar que nenhuma esfera da sociedade se preocupa nesse momento com o que aocnteceu com os profissionais da educação.
    Todos interesadois que a greve acabasse, que os alunosa voltassem às salas de aula para não perderem de ano e tal; mas, e agora, cadê que alguém tem interesse em saber o desgaste que nos passamos em voltar a sala de aula sem nenhum ganho, sem nenhuma perspectiva de ganho real.
    Todos se preocuapm em nao ter seus queridos filhos em suas casas. pois, nós, educadores, somos, pais, mães, psiquiatras, psicólogos, polícia e ninguém está nem aí para nossa saude mental, psicologica e fisica.
    Vai demorar e muito a chegar o dia em que a educação vai ser realmente tratada como se deve.

  67. MARIA 7 de novembro de 2012 at 10:29 - Reply

    Dia06/11 – 9h, na SAEB – Proposta Salarial;????????
    POR FAVOR O RESULTADO APLB!!!

  68. cesar alves 7 de novembro de 2012 at 5:51 - Reply

    Acredito que temos que entrar em greve para acabar com o ano letivo de 2012, parar na 3a unidade, não lançar notas, enfim, é que o governo espera. Certeza eles estão tremendo nas bases por esta atitude de greve, a sociedade não aguenta mais tanta ingerência deste governo. Vamos para tudo ou nada se não houver os 7% em novembro. Eles tiveram 6 meses para votação na AL.

  69. joelma palma 7 de novembro de 2012 at 0:44 - Reply

    Só sei dizer que PRECISAMOS DE UMA ASSEMBLÉIA JÁ.

  70. Marina Freire de LIma 6 de novembro de 2012 at 22:17 - Reply

    Parabéns colega! Vc disse tudo que estavamos precisando ouvir, para nos preparar para o pior que poderá vir desse governador.

  71. AGNALDO DIAS 6 de novembro de 2012 at 19:39 - Reply

    É UMA PALHAÇADA MESMO ESSA SITUAÇÃO, E VÃO FICA EMPURRANDO ATÉ CHEGAR O ANO QUE VEM. O GOVERNO JÁ DEVE 14% DESTE ANO, REFERENTE AO PISO, E VAI SE ACUMULAR COM A INFLAÇÃO E NOVO PISO DO ANO QUE VEM E O GOVERNO MAIS UMA VEZ VAI DIZER QUE NÃO TEM ORÇAMENTO PRA ISSO E NÓS, PROFESSORES, VAMOS FICAR COM A CARA DAQUELES ARTISTAS DE CIRCO QUE DIVERTEM O POVO, MAS NOSSA DIVERSÃO ESTÁ LONGE. NÃO DÁ PRA LEVAR A SÉRIO ESSA PROFISSÃO SE UM BANDO DE HIPÓCRITAS FERRA O POVO DANDO UMA EDUCAÇÃO DE PÉSSIMA QUALIDADE.

  72. ana lucia carvalho 6 de novembro de 2012 at 19:28 - Reply

    Onde tem sindicato,tem luta e também vitória. União da classe é a palavra chave. Vamos isolar aqueles que amam fazer badernas ao invés de trabalhar pelas conquistas.Geralmente são péssimos profissionais e só tem mesmo é muita garganta.O discurso é um e a prática é outra.

  73. Ricardo 6 de novembro de 2012 at 18:07 - Reply

    Realmente está muito difícil compreender o que está acontecendo APLB, pois a pauta da reunião de hoje seria apresentação por parte do governo da NOVA PROPOSTA SALARIAL, que pelo visto ainda não vai sair. Pensei que a ENRROLAÇÃO acabaria depois das eleições, mas, estou vendo que me enganei.
    Qual é o possicionamento da APLB diante dessa ENRROLAÇÃO?

  74. Professor Sobrinho 6 de novembro de 2012 at 17:34 - Reply

    E as Unificações de Cadastros? Como ficam? O governo, ao que parece, não tem nenhum interesse…

  75. Laert 6 de novembro de 2012 at 15:59 - Reply

    Temos que pressionar, inclusive de não iniciar o ano letivo em 2013.

  76. Edvaldo 6 de novembro de 2012 at 14:44 - Reply

    Eles estão querendo mais 115 dias de greve. Se for isso, é só demorar mais alguns dias até que os professores se revoltem outra de vez!

  77. Maria Cirlandia 6 de novembro de 2012 at 12:31 - Reply

    Sandro Beta
    Colegas, quanto ao caráter do curso de progressão na carreira, apenas podemos fazer suposições sobre a sua natureza jurídica (que, por acaso, nem um nome específico possui). Acreditamos que se enquadre como uma gratificação, porém como ainda é um projeto de lei, que será aprovado no instante em que o governo quiser, pois tem ampla maioria na Assembleia, não podemos ainda dizer, de fato, como esse curso se configurará. Não podemos afirmar, por exemplo, se configurará-se, ao menos, como um curso, de fato. Uma coisa é certa, esse governo já tem um recente histórico de arbitrariedades de ordem jurídica tão extensa, como o não pagamento da URV (descumprindo ordem judicial explícita de pagamento), não pagamento do Piso dos Professores, transformação de salário de professor em subsídio etc., que, como todo gato escaldado, eu já passo a ter medo até de água fria. O fato de não aceitarmos a troca do Piso pelo curso de progressão na carreira, ainda que embasado em documento oficial, não pode nos deixar tão seguros em relação ao nosso futuro, vide o próprio acordo feito entre a categoria e o governo do estado, registrado no Diário Oficial da Bahia de novembro de 2011, em que o governo se obriga, no ato da implantação do Piso, a manter os valores interníveis e, como todos sabemos, mais uma vez, houve descumprimento formal por parte do governo, portanto todo cuidado é pouco. Esse governador já demonstrou que não dá a mínima importância às decisões jurídicas e aos acordos formais, firmados pelo mesmo, portanto, a única maneira de detê-lo, em sua arrogância e truculência, transformando-o em um gestor ponderado, é na esfera política, isso causa um impacto poderoso em suas decisões. Quem perdeu em 2012, na esfera política, já deve estar repensando as suas táticas para 2014. Nós (professores), às vezes, cochilamos, porém os políticos profissionais nunca dormem. Tenho certeza de que eles já estão pensando em formas de anular qualquer movimento nosso, daqui para frente. Nesse momento, temos que ter 100% de desconfiança e atenção. Estamos jogando uma partida de xadrez com arrogantes enxadristas profissionais!

Deixe seu comentário »