Opções

Ache fácil

UPB afirma que metade dos prefeitos não vai pagar o Piso Nacional. APLB intensificará a luta para fazer valei a lei

No jornal CORREIO, desta sexta-feira, 29 de dezembro, reportagem sobre o recente reajuste do Piso Salarial Nacional do Magistério. A fonte da reportagem é a União de Prefeitos da Bahia. O conteúdo demonstra que a luta do sindicato será ainda maior em 2018. Afinal, o Piso Nacional é para ser respeitado e o Fundeb existe para dotação orçamentária desta lei.

O coordenador-geral da APLB-Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia e secretário sindical da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Rui Oliveira, diz que os professores precisam lutar para que os governos cumpram a Lei do Piso. “É muita luta para garantir que os governos cumpram. Eles  precisam tomar vergonha e valorizar o profissional de educação”.  Conforme Rui, mais de 95% dos municípios baianos não pagam o piso. Ele lista cidades como Uauá, Filadélfia, Queimadas, Santa Brigida, Coração de Maria, Irará, Baixa Grande, Teofilândia, Teolândia, Itaparica, Vera Cruz e Nazaré das Farinhas.  “Dá para somar mais de 300 municípios”, garante.  

Estamos atentos e vamos à luta para fazer valer os direitos dos trabalhadores em educação!

Leia mais clicando aqui

APLB-Sindicato


   

Top