Opções

Ache fácil

Rede municipal: Reajuste dos servidores fica fora da LOA

A Câmara Municipal de Salvador aprovou ontem (18) o Projeto de Lei n 320/19, de autoria do executivo municipal que determina as diretrizes da Lei Orçamentária Anual (LOA). Os vereadores aprovaram a proposta de R$ 8.048.221.000,00 bilhões para serem utilizadas nas despesas em 2020, com sete votos contrários. Antes da votação, com o objetivo de atrair mais recursos para os trabalhadores da educação no município, a direção da APLB-SINDICATO se reuniu com vereadores, em especial, a vereadora Aladilce Souza (PCdoB), solicitando a inclusão de mais recursos para viabilizar o reajuste de salário dos servidores.

Na ocasião, Aladilce apresentou uma emenda pedindo um acréscimo equivalente a 6% sobre a despesa prevista para 2020, para fins de reposição salarial dos servidores públicos municipais. No total, 111 emendas de diversos vereadores foram apresentadas. No entanto, nenhuma delas foi aprovada.

“A APLB teve o cuidado, se antecipou, inclusive, para tratar da LOA com os vereadores. Discutimos, fizemos reunião, com o objetivo de obter mais recursos, com vistas ao reajuste salarial para os trabalhadores da área de ensino. Aladilce apresentou uma emenda, fruto dessa discussão com a APLB, mas, lamentavelmente, o texto foi rejeitado pelo plenário”, declarou Elza Melo, diretora administrativa da entidade.

Ela afirma que a APLB seguirá mobilizada pela ampliação das verbas para a área de ensino. “Vamos entrar com toda força, no início do ano, com assembleia e, caso o executivo municipal não apresente uma proposta de reajuste e cumpra o plano de carreira, não iniciaremos o ano letivo. Esta é a posição que a APLB levará para a assembleia do dia 5 de fevereiro, com a categoria”.

Confira a emenda apresentada pela vereadora Aladilce:

 

 

Top