Opções

Ache fácil

APLB-Sindicato é contra o corte nos salários e cobra negociação

O corte nos salários de professores, sem perspectiva de negociação sobre reajuste salarial, foi principal razão que levou a direção da APLB-Sindicato a buscar a intermediação do legislativo municipal para intervir nas negociações com o Poder Executivo de Salvador. Na manhã de hoje (1/10), a vereadora Aladilce Souza (PCdoB) intermediou a reunião entre a direção da APLB e o presidente da Câmara Legislativa de Salvador, Geraldo Júnior (SD).

No encontro, a APLB relatou a situação e sugeriu ao presidente a constituição de uma comissão suprapartidária de vereadores para viabilizar a negociação entre a APLB e o prefeito ACM Neto.

Ontem (30), a entidade divulgou a informação de que professores foram tomados de surpresa com descontos nos salários de setembro. A SMED justificou o corte sob o argumento de que o ato foi motivado pelo não preenchimento do Sistema de Monitoramento de Aprendizagem (SMA).

Para agravar a situação, esse desconto foi feito sem base legal e, aparentemente, sem critérios, pois professores em licença e outros que preencheram os formulários do SMA foram afetados pelo corte.

APLB-Sindicato considera essa atitude arbitrária, desrespeitosa e não admite nenhum corte nos salários, pois os prejuízos são muitos e se estendem às famílias dos educadores.

A direção da entidade busca se reunir com o secretário de Educação do município de Salvador, Bruno Barral, para cobrar soluções. A expectativa é levar uma resposta positiva para a assembleia de amanhã (2) no Ginásio dos Bancários.

Top