Opções

Ache fácil

APLB-SINDICATO NÃO ACEITA POSIÇÃO DO EXECUTIVO MUNICIPAL DE REAJUSTE ZERO!

ESSE É O PRESENTE QUE A PREFEITURA DE SALVADOR TEM PARA A (0) PROFESSORA (OR)!

Após meses de enrolação, o executivo municipal recebe os sindicatos dos servidores (APLB, SINDESPS, demais sindicatos e Associações) para dar o seu veredito final de que a posição da Prefeitura para este ano é de REAJUSTE ZERO! A apresentação de planilhas feita pelo Subsecretario da Fazenda sobre situação financeira da Prefeitura, não nos convenceu! Segundo ele, a expectativa de crescimento da receita do segundo quadrimestre foi negativa, portanto, não havia nenhuma possibilidade de aumento da folha de pessoal, propondo qualquer reajuste. O argumento também é de que estavam na expectativa de melhoria da economia prometida pelo governo federal, com retorno positivo para os municípios, que não vem acontecendo.

 A direção da APLB-Sindicato posicionou-se de imediato afirmando que, além dos dados apresentados não convencerem, o executivo municipal mostrou completa falta de respeito para o conjunto dos servidores que aguardaram durante meses para ouvir absolutamente nada, e ainda afirmando que era a primeira e última posição a ser apresentada!  Quanto à estimativa de crescimento econômico do Estado Brasileiro, a direção do sindicato foi categórica ao dizer que a agenda do governo federal é seguida fielmente pelo prefeito, que foi cabo eleitoral e grande aliado do atual presidente. É a politica do retira (direitos) e não dá! 

Profundamente insatisfeita com o andamento das negociações, a direção da APLB foi categórica ao afirmar que não encerraria as negociações sem nada de concreto. Além da negativa quanto às cláusulas econômicas, foram poucos os avanços para os demais itens da pauta.

Além disso, insistiu sobre a necessidade de discutir mudanças no tratamento que a SMED vem dando aos trabalhadores em educação. É incompatível propagar que promove educação de qualidade adotando pacotes questionáveis que chegam às escolas e, pior, de forma impositiva, sem tratar de forma democrática com os trabalhadores em educação. Exemplo disso é o preenchimento excessivo de formulários que prejudica o tempo pedagógico do aluno e reduz o período dedicado ao planejamento de aulas do professor. Para agravar mais a situação, a SMED promove o corte de valores nos salários de professores de forma ilegal, aleatória e sem critério, com o argumento de que não fizeram o preenchimento do SMA.

 As turmas de educação infantil sem ADIs exige que a (o) professora (or) tenha sobrecarga de trabalho e excesso de responsabilidade para a ação indissociável de educar e cuidar a criança pequena. Além disso, as condições de trabalho em um grande número de escolas continuam precárias e o não cumprimento de direitos previstos no Plano de Carreira não vem sendo respeitados.

Essa realidade implica na saúde do professor, no seu desempenho, e na qualidade do processo ensino-aprendizagem que diferem das bonitas propagandas veiculadas na mídia, pela Prefeitura de Salvador.

No final, ficou agendada uma nova rodada de negociação prevista para a próxima quinta feira, às 14 horas, na SEMGE Para tanto, convocamos todas e todos para acompanharem as negociações nesse dia para exigir do executivo municipal RESPEITO! Não pode haver conformismo da parte dos servidores com essa postura do executivo municipal!

Nova assembleia será convocada, precedida de reunião de representantes de escola que cumprirá a tarefa de reunir os companheiros nas suas unidades escolares e unificar posição ouvindo a opinião de todos, para, finalmente, ser apreciada na assembleia.  

DEVOLUÇÃO DE VALORES DESCONTADOS NOS SALÁRIOS DE PROFESSORES!

Logo que foi constatado o corte de valores nos salários de professores com a alegação de que não preencheram o SMA, a APLB Sindicato reuniu-se com o Secretário da Educação para afirmar a ilegalidade do ato, além de ter praticado de forma aleatória e sem critério. Para corrigir essa arbitrariedade, foi reivindicado que a devolução fosse feita em folha suplementar. Inicialmente o secretário afirmou que só iria devolver tão somente daqueles que tiveram o corte de forma equivocada, mas a direção da APLB não concordou e manteve a posição da devolução para todos, indistintamente! Com argumentos firmes, finalmente convenceu o secretário em devolver para TODOS em folha suplementar. Para que de fato ocorra, a APLB tem feito ingerências junto aos secretários de gestão e educação para que os valores entrem nas contas dos professores prejudicados. A previsão de pagamento é até quarta feira.

 

PUBLICAÇÃO DE ESCOLAS PERIFÉRICAS OU DE DIFICIL ACESSO

Questionado sobre a publicação de escolas que deixariam de ser periférica ou de difícil acesso, o secretário da educação reconheceu o erro e se comprometeu a tornar sem efeito a Portaria. Desse modo, deverá publicar nova Portaria, apenas com a inclusão de três escolas que se enquadram nos critérios de periférica ou de difícil acesso. Na oportunidade, foi tratado que serão rediscutidos os critérios para a concessão desse benefício, já que há escolas que se enquadram como periféricas e não recebem. 

GRATIFICAÇÃO APRIMORAMENTO

Esse foi um item da pauta que teve retorno positivo. Houve o compromisso de publicação de todos os processos de professores e coordenadores que estão com processos aguardando. A APLB estará acompanhando pari passu até que estejam zerados os que deram entrada esse ano.  

LUTAR, SEMPRE!

A APLB-Sindicato tem repetido que campanha salarial se dá durante todo o ano! Enquanto os governos não se preocuparem com a educação no sentido de tornar fundamental para a vida das pessoas como transformadora de cidadãos plenos e conscientes, enquanto os trabalhadores em educação não forem tratados com respeito, onde seus direitos não sejam são atendidos, enquanto não houver democracia plena, continuaremos cobrando, exigindo e lutando!

O governo Bolsonaro que assinar a sentença de morte adotando o pluralismo sindical. Não vamos aceitar! Os trabalhadores precisam estar atentos para barrar mais esse ataque à organização dos trabalhadores! É preciso que todos permaneçam  na defesa da unicidade sindical para a sobrevivência das representações sindicais e pela proteção aos direitos dos trabalhadores!

Para tanto, é preciso unidade e força da categoria, pois todos sabem que o prefeito ACM Neto, aliado do atual presidente não se furta a retirar direitos, de adotar a politica de privatização da escola pública, da terceirização, enfim de medidas ultraliberais, antinacionalista, que contrariam os princípios democráticos no Brasil e em Salvador.      

JÁ DIZIA O NOSSO COMANDANTE CHE GUEVARA:

“SE O PRESENTE É DE LUTA, O FUTURO NOS PERTENCE”.

DESISTIR, JAMAIS!

 

 

 

Top