Opções

Ache fácil

ARTIGO – Por Nivaldino Felix – PONTO DE FLEXÃO E AÇÃO, SOBRE  A EDUCAÇÃO  

 Nestes novos tempos, estamos observando um verdadeiro ataque às escolas publicas na Bahia. Colégios como o Central, Praia Grande, Teixeira de Freitas e Manoel Devoto estão sendo devastados e não só isso, tornando-se verdadeiras sucatas. Estas estruturas educacionais históricas estão propositadamente destruídas. O governo do Estado, ao invés de ter uma política de recuperação desses verdadeiros patrimônios educacionais está fechando, o que é um absurdo, pois tais paradigmas de gestão confrontam com o discurso do governo de que a educação é prioridade. Esse discurso para mim não passa de retórico. O governo de Bolsonaro tem produzido ataques violentos a educação e desconstruído conquistas que foram fruto das lutas ao longo desses anos, o Governo do Estado da Bahia não pode ter o mesmo comportamento do governo fascista de Bolsonaro que tem a educação como inimiga.

É preciso entender que a educação é um elemento que pode transformar este país. Todas às políticas de destruição contra a educação atingem, de forma contundente, o futuro de nossa juventude e o futuro de nossa nação. Não podemos aceitar de forma passiva que  o governo federal  militarize o ensino público no Brasil  com a propósito de transformar estas escolas em cívico militar. A atribuição da polícia é manter a segurança pública. O governo do Estado de certa forma apoia este projeto de militarizar as escolas. Este ensino  vai  impor à nossa juventude uma ideologia incompatível com o processo democrático que ainda perdura no Brasil. É bom lembrar que a ditadura militar ao golpear a democracia em 64, no decorrer do tempo acabou com o ensino participativo e democrático que se praticava no Brasil, onde os cursos médios (científico),  os alunos  tinham aulas de Filosofia, Sociologia e outras matérias na área de Humanas, implantando a chamada Educação Moral e Cívica que em última  análise consolidava a visão de um governo fascista. 

  
Toda esta ação nefasta do governo Bolsonaro contra a educação pública atinge de forma contundente milhões de negros e pobres no Brasil. Quando uma escola é fechada milhões de jovens ficam vulneráveis às mazelas sociais na Bahia e no Brasil. Observamos onde as escolas são fechadas se vê muitos jovens pelas ruas. É importante observar aqui que não queremos comparar a trajetória política de Bolsonaro com a de Rui Costa. Os dois têm a trajetória política diferente, mas de certa forma os dois estão agindo igual quando se fala em educação e valorização do trabalhador público.

Diante dessa situação não sabemos como vai ficar o Plano Nacional da Educação-PNE, depois de ampla discussão na sociedade com metas positivas para melhorar a situação do ensino no Brasil, esta fadado a desaparecer. Estes avanços estão sendo pedidos, em decorrência das políticas de destruição da educação promovida por um governo conservador, que abertamente se porta como um governo pró-imperialismo que bate continência em frente à bandeira americana, lambe botas do governo Trump.        

As escolas do município estão na mesma situação, muitas dessas escolas estão sucateadas, fruto de uma  gestão  conservadora do ACM  Neto. É importante lembrar a sintonia do prefeito com o governo fascista de Bolsonaro  isso pode significar a implementação da mesma política de destruição do ensino público na rede municipal de Salvador. São imensas às reivindicações dos profissionais em educação do município de Salvador. Pior situação estão os funcionários administrativos do município que se  encontram com uma demanda muito grande de reivindicações ao longo desses anos. Portanto, todos que entendemos a importância da educação, temos que nos incorporar à resistência nacional no sentido de preservar este bem maior.

   

        Nivaldino Felix         
  Diretor  de imprensa da  APLB- Sindicato       
          Poeta e escritor

Top