Opções

Ache fácil

ESCOLHA DO NOVO MINISTRO PREOCUPA EDUCADORES

Educadores brasileiros têm demonstrado preocupação com a escolha do novo ministro da Educação. Carlos Alberto Decotelli foi anunciado na tarde dessa terça-feira (25) pelo presidente Jair Bosolnaro por meio de uma rede social. “Temos preocupação se ele garantirá uma Educação pública, gratuita e de qualidade para os brasileiros. Ele é uma escolha dos militares, o que nos faz pensar que ele pode potencializar as escolas militares no país. Ele é da ala ideológica do governo, que ameaça as universidades públicas e sucateia a Educação básica. Vamos continuar atentos!” disse Rui Oliveira, coordenador-geral da APLB-Sindicato.

Decotelli é oficial da reserva da Marinha, atuou como professor da Escola de Guerra Naval, no Centro de Jogos de Guerra, e presidiu o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) entre fevereiro e agosto do ano passado. Depois, passou para a Secretaria de Modalidades Especializadas do Ministério da Educação. Ele sucederá Abraham Weintraub, que, após 14 meses, anunciou demissão na semana passada. Decotelli é o terceiro ministro da Educação do governo Bolsonaro.

Em nota, a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) diz que “A indicação de Carlos Alberto Decotelli ao Ministério da Educação não atende aos interesses de uma escola pública e gratuita para todos, em especial nesses tempos de pandemia que exigem desafios monumentais para o momento. Decotelli é economista ligado à área de finanças e oficial da reserva da Marinha, mantendo ligações políticas com o ministro da Economia Paulo Guedes”, o documento (veja na íntegra abaixo) ainda reforça que “Os defensores de uma educação privatista, a quem interessa somente a venda de serviços de plataformas virtuais nesses tempos de pandemia, não têm a sensibilidade que o atual momento do Brasil exige, de uma educação como direito social e universal, pública e gratuita, laica e democrática. E que seja cada vez mais inclusiva!”.

NOTA_CNTE

 

 

 

Top