Opções

Ache fácil

“Esperamos que o bom senso prevaleça e essa proposta seja vetada”, diz Rui Oliveira sobre projeto que retira nome de Paulo Freire de escola

Paulo Freire, patrono da Educação do Brasil, considerado o brasileiro com mais títulos de doutor honoris causa no mundo (pelo menos 35 universidades, de diversos países, já fizeram homenagens a ele), vem sendo alvo de ataques nas redes sociais e nos discursos políticos, desde a ascensão da nova onda conservadora no país. Mais lido nas universidades do exterior do que nas brasileiras, Freire é atacado por idealizadores e simpatizantes do projeto “Escola Sem Partido”, que tentam desqualificar o legado do educador.

Um dia após Bolsonaro se referir a Paulo Freire como “energúmeno”, a Câmara Municipal de Salvador aprovou um projeto de lei, do vereador Alexandre Aleluia (DEM), que retira o nome do educador de uma escola municipal da capital baiana. A proposta prevê a mudança do nome da escola municipal Educador Paulo Freire para escola municipal José Bonifácio, em homenagem ao patriarca da Independência do Brasil. Fundada em 1997, a unidade de ensino tem 264 alunos e fica no bairro do Arraial do retiro, periferia de Salvador. Para valer como lei, a proposta ainda precisa passar por sanção do prefeito ACM Neto (DEM).

O projeto foi criticado pela comunidade escolar e entidades como a APLB-SINDICATO.

“Estamos num período onde a ultradireita quer negar o valor do conhecimento e voltar ao obscurantismo. A proposta desse vereador é totalmente injustificável. Não será ele que vai negar o papel e a representatividade de Paulo Freire na Educação brasileira e internacional. Querem tentar apagar a história de uma construção coletiva sobre o projeto educacional brasileiro. Nós, APLB e CNTE, repudiamos, primeiro, a fala do presidente, que expressa a desqualificação do mesmo. Aqui em Salvador, esperamos que os vereadores, inclusive os aliados a ACM, façam um apelo para que o prefeito vete a troca de nome da escola, porque é uma aberração, se passar, será mais um dos absurdos cometidos na Bahia. Negar a história de Paulo Freire, é negar a de Jorge Amado, Castro Alves, Rui Barbosa, Anísio Teixeira e isso não é papel do governo. Esperamos que o bom senso prevaleça e essa proposta seja vetada”, declarou Rui Oliveira, coordenador-geral da APLB.

Patrono da Educação Brasileira, Paulo Freire é considerado um dos principais pensadores da pedagogia mundial e ganhou notoriedade ao desenvolver um método de alfabetização que estimula a valorização do saber do aluno e o aprendizado como forma de transformação política.

“Estamos surpresos e perplexos. Foi algo que aconteceu de repente, sem o nosso conhecimento. Não concordamos com esta mudança”, afirma a diretora da escola, Rose Tatiane Barreto.

Mesmo filiado ao DEM, Alexandre Aleluia é um dos principais nomes do bolsonarismo na Bahia e deve migrar para o novo partido que está sendo formado por Bolsonaro, o “Aliança pelo Brasil”. Ele é filho do ex-deputado federal José Carlos Aleluia, hoje assessor especial do Ministério da Saúde.

Top