Opções

Ache fácil

Governador decepciona servidores

Por Nivaldino Félix*

A decepção dos funcionários públicos da Bahia com o governador Rui Costa é cada vez maior. Por muitas vezes foi dito que o reajuste para atualizar o salário mínimo, há 5 anos congelado,  iria ocorrer. O governo havia fechado um acordo para que os servidores que ainda recebem salário abaixo do mínimo (atualmente, 18 mil funcionários), tivesse o reajuste. Esta informação foi amplamente divulgada pelos órgão de imprensa.

No entanto, para a nossa surpresa, foi anunciado que o salário mínimo atual só será pago aos servidores que possuem carga horária de 40 horas semanais. Ou seja, o reajuste chegará apenas a uma quantidade ínfima de trabalhadores, pois a grande maioria é efetiva, regida pela Lei 6677. É importante ressaltar que tal proposta foi enviada para votação na Assembleia Legislativa sem o conhecimento da APLB-Sindicato.

As pesquisas recém divulgadas trazem números desanimadores para a Bahia. São 6 milhões de pessoas vivendo abaixo da linha de pobreza. Temos problemas nas áreas de Educação, Saúde, Segurança, funcionários públicos há 5 anos com seus salários  aviltados. Com isso, a fome e a miséria têm chegado aos lares desses companheiros. Todos os meses sobem preços da energia, gás de cozinha, água, e o salário dos servidores públicos seguem congelados.

Nesse sentido, a APLB-Sindicato vem tomado algumas providências. Vamos enviar um documento para o governador reivindicando o aumento de salário para todas e todos os servidores públicos do estado. Faremos ainda uma plenária com funcionários da Educação, a fim de mobilizarmos a categoria a lutar pelo reajuste.

Estamos vivendo no obscurantismo político e social, onde o neoliberalismo impera e, com seus tentáculos imundos, atacam nossos direitos. Observamos movimentos populares sem força para mobilizar a grande massa de trabalhadores, o funcionalismo público acuado, como se estivesse esperando um golpe fatal, frente as propostas que Bolsonaro está enviando ao Congresso, entre elas, a reforma administrativa, que diminui o salário dos servidores, entre outros absurdos.  É importante, nesse momento, erguermos  a cabeça e  lutar contra esses inimigos do povo.

 

Nivaldino Felix é poeta, escritor e diretor de Imprensa da APLB-Sindicato*

Top