Opções

Ache fácil

No Dia da Mulher, a homenagem da APLB-Sindicato a Amabília Almeida

Professora Amabília Almeida

Neste 8 de março de 2019, a APLB homenageia todas as professoras e outras trabalhadoras em Educação,  na pessoa da educadora Amabília Almeida, natural da cidade baiana de Jacobina, onde nasceu em 24 de maio de 1929.

Amabília foi professora primária em Jacobina. Em 1947, tornou-se professora da rede pública estadual da Bahia. Na década de 1950, liderou o primeiro movimento pela melhoria dos salários da categoria. Especializou-se em Educação Pré-escolar, Higiene Escolar e Puericultura pela Legião Brasileira de Assistência. Presidiu a Associação Feminina da Bahia, teve seus direitos políticos cassados após o golpe militar de 1964, sendo aposentada compulsoriamente pelo AI-2.

Mas jamais desistiu. Em 1965, fundou a Escola Experimental, em Salvador. Uma das fundadoras do Movimento Feminino pela anistia, Amabília atuou com destaque em defesa da Assembleia Nacional Constituinte e das eleições diretas. Conquistada a anistia, em 1979 participa ativamente da construção do MDB, sendo eleita presidente do Movimento Feminino do partido. Elegeu-se vereadora pelo MDB, em 1982. Candidatou-se a deputada estadual em 1986 e se elegeu suplente, assumindo uma vaga na Assembleia Legislativa em março de 1987. Destacou-se com as bandeiras em defesa dos direitos das mulheres, do direito do consumidor e em favor da educação.

Como deputada estadual constituinte, foi relatora do capítulo da Educação, Ciência e Tecnologia e conseguiu inserir na Constituição baiana um capítulo específico sobre os direitos da mulher, ato inédito, à época, no Brasil. Mais tarde, deixou o MDB e filiou-se ao PSB. Desenvolveu projetos de educação na Fazenda Candeal, em 1992.

Integrou o governo de Lídice da Mata, em Salvador, dirigindo a Liga de Assistência e Reintegração, mesclando assistência social com atividades de formação para a cidadania. Desenvolveu projetos em prol das crianças, adolescentes e idosos. Sempre em defesa da mulher, implantou o Centro de Profissionalização da Mulher – CEPROM, com o fim de dar-lhes dignidade, profissão e cidadania.

Em 2012, foi condecorada com a Medalha Anísio Teixeira na Câmara dos Vereadores de Salvador, em função do reconhecido trabalho desenvolvido em educação. Em 2013, recebeu do Senado Federal o Diploma Bertha Lutz, pela sua reconhecida luta em defesa dos direitos da mulher.

Você, Mulher, Professora, Trabalhadora, que transforma, positivamente a cara da Educação na Bahia, tenha certeza,  Sua Luta faz a Diferença!

 

Por: Gercyjalda Rosa da S. e Silva

         Zenaide Barbosa Ribeiro

Top