Opções

Ache fácil

O Tsunami da Educação inunda às ruas do país neste 13 de Agosto Greve Nacional em Defesa da Educação e Aposentadoria. APLB-Sindicato presente nas manifestações em toda a Bahia

A APLB-Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia, como sempre ao lado da categoria e, em defesa de uma educação pública e de qualidade, na luta pela garantia da manutenção dos direitos dos trabalhadores em Educação, participou ativamente do ato neste 13 de Agosto Greve Nacional em Defesa da Educação e Aposentadoria. A concentração ocorreu na Praça do Campo Grande e a caminhada seguiu pelas ruas do centro da cidade até a “Praça do Povo”, a Praça Castro Alves. Com faixas, apitos, tambores, cartazes, somadas a muita criatividade e irreverência, os trabalhadores em Educação se juntaram aos estudantes e diversos entidades sindicais e estudantis, das esferas públicas e privadas, para protestar contra os desmandos de um desgoverno que tem a Educação como uma ameaça. 

Na pauta do movimento constam a defesa de mais verbas para a Educação pública, contra o corte de verbas e desmonte que o governo Bolsonaro está provocando, bem como pela liberdade de cátedra e contra a chamada Escola Sem Partido. No interior do estado as manifestações também ocorrem durante todo o dia. 

Fotos: Getúlio Lefundes

Acompanhe a reportagem da TV APLB: 

 

 

 

No Interior do Estado houve debates e manifestações neste dia:

Em Itabuna, para protestar contra os cortes de verbas na educação, foram às ruas estudantes , professores, APLB, outros sindicatos, movimentos sociais, em uma caminhada na Av. Cinquentenário, saindo do Jardim do O, até à Praça José Bastos.
#TsunamiDaEducacão!

Em Jeremoabo:

APLB Sindicato  Regional Diamantina Norte participa do Ato Público da Greve Nacional da Educação e mais uma vez protagoniza a luta em defesa do povo, da educação pública gratuita e de qualidade, em defesa da democracia, da aposentadoria e contra a reforma da Previdência realizando nesta terça-feira (13/08) uma grande mobilização em Irecê-Bahia. APLB Sindicato Regional Diamantina Norte é RESISTÊNCIA!
#TSUNAMIDAEDUCAÇÃO
#APLBDELUTA

Em Uauá foi realizado um debate. 

Notícias anteriores:

Só um tsunami da educação pode destruir o atual cenário de ataques! Nesta terça-feira, 13 de agosto, GREVE GERAL DA EDUCAÇÃO – Contra a Destruição da Aposentadoria e em Defesa da Educação!

 

Só um tsunami da educação pode destruir o atual cenário de ataques

A onda gigante de defensores da educação pública, gratuita, democrática e de qualidade é uma força da natureza que não se pode conter.

Por José de Ribamar Virgolino Barroso*

 

Manifestação em defesa da Educação, Brasília-DF.

Manifestação em defesa da Educação, Brasília-DF.

Os geógrafos explicam as tsunamis como ondas descomunais, com grande volume de energia, que ocorrem nos oceanos pela movimentação das placas tectônicas. Tal qual um terremoto, o maremoto tem seu epicentro — isto é, o ponto da superfície terrestre, nesse caso sob o oceano, a partir do qual se irradia — atingido em primeiro lugar e com maior intensidade pelo abalo sísmico.

Não é em vão que o 13 de agosto foi batizado como tsunami da educação. Neste momento de estremecimento — das políticas públicas, dos direitos sociais fundamentais e do próprio Estado Democrático de Direito —, a educação tem sido, de fato, um ponto fulcral a absorver os primeiros impactos que prenunciam a catástrofe. A onda gigantesca de estudantes, professores, técnicos administrativos e defensores da educação pública, gratuita, democrática e de qualidade socialmente referenciada é, portanto, consequência. Mais: é uma força da natureza, que não se pode conter.

No Congresso Extraordinário da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino (Contee), realizado no fim de julho em São Paulo, apontamos a participação na mobilização do dia 13 como uma das prioridades de nosso plano de lutas. Se mantivéssemos a metáfora das ondas do mar e seu potencial cataclísmico, poderíamos dizer que, nesse volume de reação popular que se levanta, os professores e auxiliares de administração escolar das instituições privadas, que compõem a base da Contee, adensam tanto a base da onda que inundará as ruas quanto fazem crescer sua crista.

Projeto do MEC é um futuro que nos levará ao passado colonial

Por um lado, o da base, porque fazem parte da ampla parcela da sociedade civil organizada, sobretudo nas entidades educacionais, que defende a educação pública como basilar para um projeto soberano de nação, o qual está sendo fendido pelos tremores — e terrores — postos em prática pelo atual governo. Por outro, o da crista, porque é justamente uma antiga bandeira da Contee que precisa estar no auge das mobilizações para enfrentar os atuais ataques: a luta contra a mercantilização, financeirização, oligopolização e desnacionalização do ensino, visando a atender os interesses privatistas — que, não por acaso, estão dentro do próprio Ministério da Educação.

Faz-se imprescindível, como se vê, que inundemos as ruas, a exemplo das grandes mobilizações que realizamos nos dias 15 de maio (na greve nacional da educação), 30 de maio (com os atos convocados pelo movimento estudantil em defesa da educação pública) e 14 de junho (na greve geral da classe trabalhadora contra a reforma da Previdência). Que seja, sim, uma tsunami a destruir o atual cenário de ataques e que, depois dela, um outro projeto de educação (pública, gratuita, laica, inclusiva, crítica, de qualidade, acompanhada da regulamentação do ensino privado) se construa.
 *José de Ribamar Virgolino Barroso é coordenador da Secretaria de Finanças da Contee

 

Assista o vídeo com a convocação para o ato no Campo Grande:

 

📢 Atenção! No dia 13 de agosto vai ter GREVE GERAL DA EDUCAÇÃO  e marcha nos municípios em defesa da Educação Pública e contra a destruição da aposentadoria. Participe! Em Salvador,  concentração às 9h, na Praça do Campo Grande.

Segundo a orientação da CNTE, a APLB-Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia convoca a categoria para manifestações no dia 13 de agosto (Terça-feira): GREVE GERAL DA EDUCAÇÃO com Marcha nos Municípios em defesa da Educação Pública e contra a Destruição da Aposentadoria, rumo a garantia dos Direitos Conquistados pela Classe Trabalhadora e pela Igualdade Social. 

 

Imprima aqui o cartaz:

Clique aqui para baixar (PDF, 3.13MB)

 

●Dia 14 de agosto (Quarta-feira): Marcha das Margaridas em Brasília-DF, rumo a garantia dos Direitos conquistados pela Classe Trabalhadora e pela Igualdade social.

Top